Pamela Anderson revelou esta terça-feira o fim do romance com o internacional francês Adil Rami ao fim de dois anos, acusando o defesa do Marselha de traição. A antiga estrela da série televisiva norte-americana 'Marés Vivas' fez a revelação nas redes sociais e chegou mesmo a apelidar o campeão do mundo de ser um 'monstro'.

"É difícil aceitar. Os últimos (mais de) dois anos da minha vida foram uma grande mentira. Eu fui enganada, ele levou-me a acreditar que nós estávamos a viver um 'grande amor'? Estou devastada com o que descobri nos últimos dias. Ele estava a viver uma vida dupla. Até costumava fazer piadas em relação aos jogadores que tinham namoradas perto das casas das mulheres. Ele chamava-os de monstros? Mas ele é bem pior. Ele mentiu a todos. Como é possível controlar o coração e a mente de duas mulheres desta maneira - tenho a certeza que houve outras. Ele é um monstro. Ajudei tanta gente e não fui sábia o suficiente para me ter ajudado a mim", começa por dizer Pamela Anderson nas redes sociais.

"Não sou uma miúda estúpida. Percebi muitas vezes que me mentia, que me dava desculpas. Os narcisistas não mudam. Os sociopatas não mudam. Isto é o meu pior pesadelo. Eu não era ciumenta antes de o conhecer. Estou feliz por saber a verdade, mas dói como tudo. Acho que não vou conseguir recuperar facilmente disto", acrescentou a atriz e modelo norte-americana.

Mas as acusações da atriz de 51 anos não se ficaram por aqui. Noutra mensagem publicada nas redes sociais, Pamela Anderson acusou também Adil Rami de violência doméstica.

"Ele era muito inseguro. Queria-me sempre ao pé dele e perguntava com quem é que eu estava. Aprendi a aceitar isto como algo normal (...) Sinto-me usada. Traída e magoada. Mas devia ter percebido. Os ciúmes, a tortura física e emocional. Era um espelho das suas próprias ações. Tentei deixá-lo umas 10 vezes. Ele perseguia-me e dizia que morria se eu fosse embora. Que ia ter apoio psicológico. Que nunca mais me iria magoar. Ele já tentou de tudo. Já mandou flores, cartas, eu não aceitei nada. Já foi ao meu hotel. Os seguranças expulsaram-no. Tenho um guarda-costas porque tenho medo dele. Ele já me magoou e ameaçou muitas vezes", acrescentou Pamela Anderson.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.