Ricardo Quaresma lamentou a forma como saiu do Besiktas. O internacional português rescindiu com o emblema turco, depois de o presidente do clube afirmar que já não contava para o grupo. A relação entre Quaresma e o presidente do Besiktas não era o melhor.

"Fikret Orman [presidente do Besiktas] nunca teve coragem de falar na minha cara. Falei com o Serdar, e naquela altura o Besiktas não pagava há cinco meses. Eu e a minha família não estávamos felizes. Estivemos quatro ou cinco meses sem receber e o presidente não se preocupou com isso», contou Quaresma, em declarações à 'BeIN Sports'.

O extremo garantiu que nunca jogaria nos rivais do Besiktas, daí ter optado por assinar pelo Kasimpassa, quando decidiu permanecer na Turquia.

"Sempre disse que na Turquia só jogava no Besiktas. Saí porque o presidente não me quer, nem nunca me quis. Tudo o que saiu cá para fora era mentira. Infelizmente, ele conseguiu tirar-me do clube que amo. O Besiktas e o FC Porto são dois clubes que vão morrer comigo. Vão ficar no meu coração para sempre. Jogar no Galatasaray ou no Fenerbahçe era difícil", justificou.

Quaresma, atulmente com 35 anos, esteve seis épocas no Besiktas. Formado no Sporting, jogou ainda no Barcelona, Inter, Chelsea, FC Porto e Al Ahli Club dos Emirados Árabes Unidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.