O AS Vita, clube de Kinshasa, denunciou a fuga de quatro de seus jogadores para Marrocos, um incidente que se soma a outros episódios polémicos do futebol da República Democrática do Congo, que vem acumulando problemas nos últimos dias.

Segundo o AS Vita, os atletas escaparam "por Brazzaville, atravessando o rio Congo de canoa". Estariam no grupo Padou Bompunga Botuli (que também joga na seleção do país), Nelson Munganga Omba, Francis Kazadi Kasengu e Yannick Bangala Litombo.

O AS Vita lançou um aviso a possíveis clubes interessados na contratação dos jogadores: "Todos eles têm contratos válidos com o AS Vita Club, foram tomadas medidas com a Federação (Congolense) para que as equipas marroquinas que os queiram tenham que se submeter à regulamentação internacional relativa às transferências".

Mas esse não é o único problema que sacode o futebol da República Democrática do Congo nos últimos dias. Na quarta-feira foi apresentada uma denúncia contra o presidente da Federação congolesa de futebol, Constant Omari, por parte de um ex-candidato à eleição presidencial, o empresário Seth Kikuni, que o acusa de não ter respeitado as cláusulas de um contrato referente aos uniformes dos jogadores.

A isso se soma a grande decepção da seleção do país na CAN disputada no Egito, na qual a equipa foi eliminada nos oitavos de final frente a Madagáscar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.