O Shakhtar Donetsk, tricampeão ucraniano de futebol treinado pelo português Luís Castro, recebeu e venceu este domingo o rival Dínamo Kiev, por 1-0, em jogo da 14.ª jornada do campeonato.

O jogo teve alguns incidentes, primeiro com a interrupção aos 80 minutos, devido a distúrbios entre adeptos, e depois com a expulsão do capitão Taison no Shakhtar, aos 85 minutos.

Após insultos racistas dos adeptos da equipa da capital ucraniana, Taison agarrou a bola com a mão, pontapeou a mesma em direção aos adeptos e dirigiu-lhes um gesto obsceno, em resposta aos insultos.

Já esta segunda-feira, o jogador de Luís Castro reagiu ao sucedido nas redes sociais.

Liga ucraniana pede investigação urgente aos insultos racistas a Taison
Liga ucraniana pede investigação urgente aos insultos racistas a Taison
Ver artigo

"Jamais irei me calar diante de um ato tão desumano e desprezível! Minhas lágrimas foram de indignação, de repúdio e de impotência, impotência por não poder fazer nada naquele momento! Mas somos ensinados desde muito cedo a sermos fortes e a lutar! Lutar pelos nossos direitos e por igualdade! O meu papel é lutar, bater no peito, erguer a cabeça e seguir lutando sempre", começou por dizer Taison.

"Em uma sociedade racista, não basta não ser racista, precisamos ser antirracista! O futebol precisa de mais respeito, o mundo precisa de mais respeito! Obrigada a todos pelas mensagens de apoio! Seguimos a luta ...", concluiu o jogador do Shakhtar Donetsk.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.