Três dos arguidos suspeitos de fraude e corrupção no futebol belga, incluindo o agente Mogi Bayat, foram libertados sob caução, informou hoje o Ministério Público.

Com a libertação de Mogi Bayat, do ex-advogado Laurent Denis e do diretor financeiro do FC Malines, Thierry Steemans, já não resta nenhum arguido em prisão preventiva.

"O juiz de instrução libertou-os de forma condicional após o pagamento de uma caução", revelou Ministério Público, sem revelar os valores, embora uma fonte citada pela pela AFP diga que Bayat teve de pagar 150.000 euros.

O antigo dirigente do Charleroi, que se tornou um doas agentes mais influentes do futebol belga, é suspeito de ter "manipulado" várias transferências para aumentar o montante das suas comissões, com a cumplicidade de agentes, clubes ou empresas sediadas em França, Inglaterra e Luxemburgo.

Neste processo há 23 arguidos, suspeitoss de branqueamento de capitais, corrupção e fraude desportiva e/ou associação criminosa, entre os quais dirigentes de clubes, jogadores, dois árbitros e treinadores do FC Bruges e do Lokeren.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.