O treinador português André Villas-Boas, que orienta o Shangai SIPG, admitiu este sábado que as transferências ‘milionárias’ para clubes chineses “vão parar”, devido às recentes restrições impostas pela federação de futebol da China.

“A mudança nos regulamentos implica que o mercado tenha de abrandar no que respeita a transferências mirabolantes”, afirmou o técnico, que tem no seu clube o português Ricardo Carvalho e os brasileiros Hulk e Óscar, protagonista da mais cara transferência para o futebol chinês.

A federação chinesa impôs restrições à aquisição de futebolistas estrangeiros que obrigam a que por cada contratação superior a 5,7 milhões de euros, os clubes devem pagar uma quantia equivalente a um fundo governamental.

As verbas depositadas nesse fundo serão utilizadas, a partir de 2018, na formação de futebolistas chineses com menos de 23 anos.

“Atualmente o mercado está fechado, os jogadores podem apenas sair. Vamos ver o que vai acontecer quando o mercado de transferências abrir”, afirmou Villas-Boas, acrescentando: “Eu acho que os gastos não vão continuar como antes”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.