A partir daí, a equipa de Ivo Traça fez uma brutal "travessia no deserto" com 14 jogos consecutivos sem vencer, caindo do primeiro para 11º lugar, obrigando o seu técnico a anunciar o abandono do "barco", decisão invertida 24 horas depois.

Como não há mal que sempre dure, nem bem que não se acabe, na 22ª jornada a equipa huilana regressou às vitórias, numa deslocação a Luanda, onde venceu o Asa por 3-1, devolvendo a esperança aos aficcionados e a confiança ao conjunto.

Nesta altura, a situação no fundo da tabela ainda era instável, pois os bons resultados eram intermitentes e o espectro da despromoção assombrava as hostes dos militares da região sul. A vitória de 1-0 sobre o Benfica de Luanda na 24ª jornada e o 4 de Abril na 26ª por 3-1, deram vida à equipa.

Quando tudo parecia aliviado, perdeu em casa, na 28ª jornada, com o Progresso da Lunda Sul e complicou as contas, obrigando-se a vencer na Deslocação ao Huambo e fê-lo com competência; conseguiu os três preciosos pontos diante da Caála que lhe conferiram o "bilhete" para o Girabola de 2017.

A única representante da Huíla na prova fechou o Girabola com triunfo caseiro sobre o Libolo, por 2-1.

Na época passada a equipa ficou no sétimo lugar, um degrau abaixo da sua melhor performance no campeonato nacional da primeira divisão.

O Clube Desportivo da Huíla foi fundado a 7 de Março de 1998, é liderado pelo general Fabiano Hihepa.

As cores que predominam no seu equipamento são o vermelho, amarelo e branco.

O seu primeiro ano na i divisão foi no Girabola de 2002 e a melhor época desportiva registou-se em 2013, em que chegou ao sexto lugar (melhor classificação de sempre). Nesse ano foi finalista vencido da Taça de Angola, que lhe deu acesso às Afrotaças tendo chegado aos oitavos-de-final.

As piores épocas foram em 2003 e em 2010, quando desceu de divisão, em ambas ocasiões em penúltimo lugar.

Até 2015, o clube recebia das Forças Armadas, seu patrocinador oficial, 20 milhões de Kwanzas.

O maior goleador da equipa foi o avançado Bena, que chegou aos 14 golos na temporada 2013. As principais referências actuais são Chiquinho, Danilson Traça, Kémbua, Tchitchi e Chiwe.

No recém-terminado Girabola, em 30 jogos a equipa obteve dez vitórias e seis empates, marcou 29 golos e sofreu 39 golos, ocupando o décimo lugar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.