Falando hoje ao canal desportivo da Rádio Nacional de Angola (Rádio 5), o dirigente desportivo diz não ser a questão financeira que motivou o rompimento entre as partes, mas sim o pouco tempo de jogo que teve durante a época finda.

“O Herenilson já não quer jogar pelo Petro, por isso vamos ver quais os moldes a utilizar para a concretização da saída do jogador", disse Tomás Faria.

Citando o pai jogador, o presidente da turma do Eixo-viário referiu que o jovem de 23 anos pretende continuar a usar a camisola da selecção nacional, intenção que pode ser comprometida caso continue nos petrolíferos, onde não tem sido opção principal do técnico Toni Cossano.

Desde 2016 no Petro de Luanda, o atleta, que termina o seu vínculo contratual em Novembro deste ano, vem sendo apontado para o rival 1º de gosto. O futuro da carreira do internacional angolano pode igualmente passar pelo futebol português, onde existem vários clubes interessados nos seus préstimos.

Com a formação tricolor, Herenilson conquistou uma taça de Angola, em 2017.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.