O avançado do Petro de Luanda, Ricardo Job Estevão, apontou domingo, em Luanda, os 12 empates registados durante a competição como a causa da falha do título do campeonato nacional de futebol da primeira divisão, que encerrou com a consagração do 1.º de Agosto.

Falando à Angop, após o empate a um golo frente ao Sagrada da Lunda Norte, na última ronda do Girabola2018, o craque frisou que o grupo tinha tudo para resgatar o troféu perdido desde 2010, mas "os empates, particularmente com as equipas do meio da tabela classificativa contribuíram para perda da liderança da prova e consequentemente o desejado título".

Admitiu, por outro lado, que o 1.º de Agosto este ano esteve muito acima da média ao conseguir inverter o quadro da classificação em momentos cruciais do evento, independentemente de estar envolvido nas afrotaças, situação que os tricolores não conseguiram controlar.

No seu entender, a eliminatória prematura na Taça da Confederação Africana pelo Super Sport United da Republica Centro Africana, ao consentir um empate caseiro e uma derrota no duelo de resposta (1-2), foi outro elemento que, aliado à onda de lesões, afastou a hipótese de serem campeões pela terceira vez consecutiva.

Para Job, a atenção está virada agora para a selecção nacional onde espera dar o seu melhor para vencer o Botswana no próximo dia 09.

Em 29 jornadas, a turma do Catetão empatou frente ao Desportivo da Huíla, 1.º de Maio de Beguela, Académica do Lobito (duas vezes), Recreativo do Libolo, 1.º de Agosto, Cuando Cubango todos sem golo (0-0) e diante do Recreativo do Libolo (2-2), Sporting de Cabianda (1-1) e Progresso do Sambizanga (2-2 e 1-1), além de 14 vitórias e duas derrotas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.