O técnico acrescentou que o grupo não conseguia subir para o ataque, o que facilitou o opositor a ampliar o seu número de ataques sobretudo nos primeiros 45 minutos.

Explicou, em conferência de imprensa, no final da partida, realizada no 11 de Novembro, que no segundo tempo, o plantel cresceu, conseguiu evitar que o rival se soltasse, mas não foram a tempo de evitar o desaire.

Com esta derrota, o 1º de Maio de Benguela mantém-se na 15ª ronda com 6 pontos, ao passo que o Petro de Luanda é segundo com 29.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.