Bruno Lage deu oportunidades, os reforços corresponderam. No segundo jogo na International Champions Cup, o Benfica bateu a Fiorentina (2-1), deu bons sinais com bola e outros menos bons, principalmente em termos defensivos, sendo que os reforços De Tomas e Caio Lucas ficaram associados aos golos deste triunfo.

Ofensivamente, o Benfica esteve bem, dinâmico, rápido e objetivo, principalmente nos primeiros minutos do encontro. Os comandados de Bruno Lage pressionavam alto, tentando condicionar ao máximo a construção do jogo da Fiorentina, e foi sem surpresa que chegou ao golo aos 9 minutos.

O conjunto viola entrou em campo mais apático, mas, aos poucos, foi crescendo na partida. O golo como que 'despertou' os jogadores do clube italiano e o Benfica começou a cometer alguns erros, principalmente na transição defensiva. O golo do empate acabaria mesmo por surgir, com Vlahovic a aproveitar a passividade de Rúben Dias na abordagem ao lance para rematar colocado junto ao poste esquerdo de Zlobin.

Depois do empate, o jogo tornou-se mais equilibrado, porém, os lances de maior frisson pertenceram sempre aos encarnados, com Raul De Tomas a ficar perto de assinar o nome na lista de marcadores da partida, e a ser protagonista noutros lances de ataque.

Depois de uma entrada melhor dos 'viola' no segundo tempo - Chiesa foi colocado em jogo e melhorou, indubitavelmente, a qualidade de jogo dos italianos -, o Benfica conseguiu voltar a equilibrar  partida, apesar de ter continuado a sentir algumas dificuldades sem bola.

Com as substituições, o jogo caiu de qualidade e ficaram ainda mais à vista as dificuldades físicas do Benfica no momento de transição defensiva.

O jogo caminhava para o apito final quando outro dos reforços lançados em jogo deu a vitória à equipa de Bruno Lage. Seferovic descobriu Chiquinho que para a finalização vitoriosa de Caio Lucas.

Os destaques deste encontro:

Raul De Tomas

Começa a justificar os 20 milhões de euros investidos na sua contratação. Hoje ficou em branco – vinha de quatro jogos consecutivos a marcar -, mas assistiu para o golo de Seferovic. Bons pormenores técnicos, boa capacidade de passe longo, e boas desmarcações quer entre linhas, quer em profundidade. Esteve perto de fazer o gosto ao pé num remate de primeira aos 24 minutos.

Seferovic

Ganhou uma nova vida com a chegada de Bruno Lage ao comando do Benfica, e hoje é um dos indiscutíveis do técnicos setubalense. Hoje voltou a marcar um golo e mostrou bom entendimento com De Tomas.

Caio Lucas

Entrou na parte final do encontro, mas foi fundamental para o desfecho vitorioso, com um remate fortíssimo já nos descontos do segundo tempo. Já mostrou boas indicações, mas nem sempre a melhor decisão.

Gabriel

Não houve jogada que não passasse por ele. Lutou e recuperou a bola como ninguém. E até esteve perto de fazer um golo de levantar o estádio aos 70 minutos, mas o pontapé merecia melhor pontaria.

Negativo: Rúben Dias

Rúben Dias já demonstrou que é um defesa central de grande qualidade, mas hoje deixou-se levar pela emoção dos jogos. Picou-se com Vlahovic durante largos períodos do primeiro tempo. Facilitou em alguns lances, e o golo da Fiorentina é exemplo disso mesmo: o jogador deu demasiado espaço ao adversário, deixou-o rodar e não conseguiu evitar o remate.

Pizzi:

Não apresentou a sua melhor versão a nível físico, e isso foi evidente no seu jogo. Foi substituído por Taarabt já na etapa complementar, e sem demonstrar grandes pormenores na partida.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.