Os maus resultados no campeonato levaram um grupo de cerca 1.500 adeptos do Valência a expressarem o seu descontentamento antes do encontro da Taça do Rei com o Celta de Vigo.

Os adeptos em questão exibiram tarjas e exigiram a saída de Peter Lim, magnata de Singapura que é dono de 70 por cento do clube espanhol. "Lim, vai para casa" foi uma das inscrições nas tarjas mostradas.

Perente um forte dispositivo policial, os adeptos ali reunidos, pediram também o afastamento de Jesús García Pitarch, diretor desportivo do clube.

O treinador italiano Cesare Prandelli demitiu-se na semana passada do comando técnico do Valência, justificando a saída com as condições que disse ter encontrado no clube, que “não se ajustavam às esperadas”.

O técnico disse ter colaborado com o clube “em silêncio” e que lhe foi prometido que em janeiro a equipa teria quatro reforços, mas a 29 de dezembro, na véspera da demissão, deram-lhe 24 horas para escolher um médio ou um ponta de lança.

“Se antes estava claro que seriam garantidos quatro reforços e depois era só um, e nem sequer estava contratado, alguma coisa não estava a bater certo”, disse.

O Valência ocupa atualmente o 17º lugar da Liga espanhola.

*Artigo atualizado às 19h46.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.