A derrota do Valencia esta quinta-feira frente ao Eibar deixou o clube 'che' cada vez mais longe dos lugares de acesso à Liga dos Campeões. Uma derrota que veio colocar a nu alguns problemas no balneário. O jornal ' Marca' fala mesmo num motim, sublinhando que a relação entre o técnico Albert Celades e alguns jogadores é péssima.

A rádio 'Cadena COPE' relata que no passado domingo, após o jogo com Osasuna, houve uma discussão muito feia entre Celades e Maxi Gomez, com o uruguaio a confrontar o treinador sobre o motivo de ser sempre o primeiro a ser substituído durante os jogos. A mesma fonte adianta que Maxi Gomez foi muito agressivo e que quase chegava a vias de facto com o treinador.

No dia seguinte, o uruguaio não esteve no treino, algo que alguns jogadores estranharam. Ninguém no balneário sabia da discussão.

Quando souberam do motivo da ausência do companheiro, terão saído em defesa de Maxi Gómez, mostrando o seu descontentamento para com o técnico. Os capitães de equipa pediram a intervenção do diretor-desportivo no conflito para que o médio fosse reintegrado já que é um jogador importante na equipa.

Maxi Gómez voltou aos treinos mas sem antes pagar uma multa. O uruguaio voltou as escolhas esta quinta-feira, na derrota com o Eibar, mas só entrou aos 86 minutos.

A imprensa espanhola fala em rebelião no balneário, que resulta da falta de confiança de alguns jogadores na equipa técnica e até em alguns companheiros.

Nas redes sociais, Kondobia deixou uma mensagem enigmática, que revela muito do que se passa no balneário: "O traidor? É como uma serpente, pica e esconde-se", escreveu o francês.

O Valencia é 8.º da Liga Espanhola com 46 pontos, menos um que a Real Sociedad e menos dois que o Villarreal. O emblema 'Che' já está a sete pontos do quarto lugar, o último posto que dá acesso à Liga dos Campeões.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.