A equipa de futebol espanhola do Almería, treinada pelo português José Gomes, que revelou na quarta-feira ter um atleta infetado com COVID-19, regressou hoje aos treinos, depois de feita nova ronda de testes ao restante plantel.

O jogador que deu positivo, cuja identidade não foi revelada, permanece em quarentena em casa e de "boa saúde", realçou o Almería através das redes sociais, enquanto todos os outros atletas tiveram resultados negativos no teste ao novo coronavírus, pelo que já houve treino à tarde.

O regresso aos trabalhos, ainda que de forma individualizada, de acordo com as regras das autoridades sanitárias espanholas, foi autorizado pela La Liga, vincou o clube andaluz.

Na quarta-feira, um dia após a apresentação de José Gomes como treinador, que substituiu no cargo o também português Mário Silva, o Almería informou que um futebolista testou positivo à COVID-19.

O resultado chegou após os testes efetuados a todo o plantel, à equipa técnica, a funcionários e dirigentes do clube, e, face ao protocolo sanitário, o jogador, que não apresentava sintomas e está bem, foi isolado.

Numa fase em que falta ao Almería disputar o ‘play-off’ de acesso à Liga, os treinos foram suspensos e iniciou-se a desinfeção do Estádio dos Jogos Mediterrâneos, enquanto os futebolistas do plantel permanecem em casa.

Desde a chegada de José Gomes, o técnico português não pôde treinar na segunda-feira, por esperar o resultado do teste à COVID-19, e apenas na terça-feira teve uma sessão de trabalho, quando a equipa prepara o ‘play-off’.

O apuramento está em suspenso devido aos 28 casos positivos de COVID-19 no Fuenlabrada e à indefinição da última equipa, de um total de quatro, no ‘play-off’, devido ao facto de a última jornada da segunda divisão não ter ficado completa.

O Almería tem a classificação e o ‘play-off' assegurado, bem como o Saragoça e o Girona, faltando definir uma quarta equipa, entre Elche ou Fuenlabrada.

Espanha é um dos países mais afetados do mundo pelo novo coronavírus, com 28.443 mortos e mais de 285 mil casos.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 667 mil mortos e infetou mais de 17 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.