Andrés Iniesta está muito próximo de abandonar o Barcelona para embarcar rumo a uma aventura no futebol chinês. E a propósito do mais do que mais do que provável abandono do futebol europeu, a revista France Football pediu desculpa espanhol por nunca lhe ter atribuído uma Bola de Ouro.

"O que se segue não é um editorial, nós deixamos isso claro desde o principio para evitar qualquer mal-entendido. É um ato de lealdade absolutamente assumido. No sábado passado, na Taça do Rei, o Sr. Iniesta sem dúvida jogou a última final de sempre ao serviço do seu clube antes de formalizar a sua partida para a China. Todavia, temos um máximo de uma dezena de partidas oficial esta temporada, incluído o Mundial, para desfrutar das qualidades do melhor facilitador de todos os tempos", pode ler-se no editorial assinado por Pascal Ferré, diretor da revista.

O editorial, intitulado "Perdón Andrés (Desculpa, Andrés) fala também numa "ausência dolorosa" na lista dos vencedores da Bola de Ouro.

"Não é um jogador, é o jogador, uma exceção ecuménica que merece todo o respeito (…) Sem ele, Messi provavelmente ter-se-ia fartado do Barcelona. Com ele, o Barça destruiu todas as adversidades possíveis. Intuitivo, hábil e iconoclasta. O Sr. Iniesta demonstrou que o cérebro é sem dúvida o músculo essencial de todos os campeões fora-de-série. O seu talento é inventar. Um altruísmo forçoso que certamente o há privado de um reconhecimento mais majestoso… como a Bola de Ouro, que lhe escapou em 2010 e em 2012. Entre as grandes ausências no palmarés da Bola de Ouro, esta é a mais dolorosa", acrescenta Ferré.

O artigo da France Football deixa ainda em aberto a possibilidade de Iniesta ganhar o galardão, caso realize um bom Campeonato do Mundo na Rússia.

"A menos que tenha uma grande atuação na Rússia que lhe permita reparar esta anomalia democrática", finaliza a jornalista.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.