O internacional francês Antoine Griezmann admitiu, em entrevista ao jornal 'Marca', que não espera ser bem recebido no Wanda Metropolitano quando regressar a Madrid com a camisola do Barcelona.

Griezmann trocou o Atlético de Madrid pelo Barcelona numa transferência que causou alguma polémica depois dos catalães terem pago uma cláusula de 120 milhões de euros.

"Não via a hora de terminar as férias e começar este novo desaifo. Todos no balneário me receberam bem, jogadores técnicos, médicos, e neste momento estou a desfrutar", começou por dizer Griezmann.

"Será bonito jogar com Messi, tenho muita vontade de perceber como é que ele é no dia a dia, nos treinos... Estou ansioso por que chegue. Estou disponível para o que for preciso: para ele, para o clube e para os jogadores", acrescentou Griezmann sobre a possibilidade de poder jogar ao lado de Messi.

Questionado sobre a receção que espera ter quando regressar ao Wanda Metropolitano, Antoine Griezmann admitiu que conta com muitos assobios.

"Não estou preocupado com isso. Sei que serei assobiado, mas isso faz parte do futebol. Aconteceu igualmente no Atlético, quando fomos jogar à Real Sociedad, também não foi fácil. Mas vou ter sempre a Real Sociedad e o Atlético Madrid no meu coração", disse Griezmann.

A terminar, Griezmann foi desafiado a pensar no que diria a Miguel Ángel Gil Marín, diretor desportivo do Atlético Madrid.

"Que não se esqueça do que me disse em sua casa, na presença de Andrea Berta e de Diego Simeone. O mais importante é que tentei sair da melhor forma possível, gostaria de o ter feito como o Juanfran ou o Diego Godín, mas pediram-me para fazer um vídeo. Despedi-me dos jogadores, dos fisioterapeutas, dos funcionários, de toda a gente. Isso era o mais importante", sentenciou Antoine Griezmann.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.