O presidente da La Liga, Javier Tebas, esteve esta terça-feira na Web Summit para falar do desenvolvimento tecnológico da liga espanhola.

"Desde o momento em que cheguei a presidente que preparei um plano estratégico com a minha equipa. Estávamos num mundo tecnológico em que as redes sociais tinham um papel cada vez mais importante. Percebemos que as coisas estavam a evoluir e que tínhamos de começar a preparar-nos para não ficarmos para trás. Tínhamos de descobrir como estar bem informados", começou por explicar.

Javier Tebas esclareceu ainda de que forma foi desenvolvida a tecnologia que suporta a La Liga. "Durante dois anos tivemos um departamento de analítica onde as pessoas tratavam da 'bigdata', que é só uma parte da indústria. Agora já temos inteligência artificial, que nos ajuda muito na tomada de decisões. Temos milhões de dados organizados e guardados", acrescentou.

"Tudo começou no início de 2016 com os acordos com a Microsoft, o nosso parceiro na tecnologia. Quando fizemos esses acordos, passámos a ter acesso, a cada novo segundo e minuto, a novos dados, como por exemplo, a assistência no estádio. Agora já conseguimos organizar-nos conforme o que vai acontecer. Conseguimos organizar a agenda para os próximos 30 dias. Sabemos quantas pessoas vão estar no estádio, quantas pessoas vão ver-nos em Espanha e noutros locais. A margem de erro é menos de 5%. Conseguimos otimizar as maiores assistências no estádio e a assistência em Espanha e a nível internacional", referiu ainda Tebas.

O presidente da liga espanhola revelou ainda o que 'separa' a La Liga das outras ligas e provas.

"A grande diferença que temos para as outras competições são os ecossistemas digitais. O site, as redes sociais, tudo está presente nos nossos dados, todos os dados são guardados por nós, desde os dados do comportamento às análises, mais do que isso se determinada pessoa é fã de várias equipas, se vê jogos sozinho ou não. Sabemos isso tudo. Esta tecnologia permite-nos preparar o marketing direto e as nossas estratégias de marketing digital. Mandamos milhares de e-mails, temos milhares de milhões de membros. Agora vamos segmentando todos os dados dos nossos clientes, de equipas e agendas, entre outras coisas. Guardamos e depois criamos campanhas segmentadas com 'pushs' para os dispositivos. A nossa taxa de abertura de links é de 25%", concluiu Javier Tebas, durante a Web Summit.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.