Os jogadores vão ter a decisão final sobre o projeto da Liga Espanhola em realizar um jogo da La Liga nos Estados Unidos, anunciou esta segunda-feira a Associação Espanhola de Futebolistas (AFE) após reunião entre as partes.

Em comunicado, a AFE confirmou que "a La Liga informou que tem interesse em que Girona-Barcelona desta temporada seja disputado nos EUA no mês de janeiro de 2019".

A La Liga anunciou recentemente um acordo comercial com a empresa Relevent, com o objetivo de levar jogos do Campeonato Espanhol para os Estados Unidos nos próximos 15 anos.

Após reunir-se com capitães das equipas profissionais, o presidente da AFE, David Aganzo, discordou do projeto e criticou a falta de informação da La Liga. Não está descartada a convocação de uma greve se os jogadores forem obrigados a jogar nos EUA.

Nesta segunda-feira, a AFE lembrou que os jogadores "serão os que irão tomar uma decisão definitiva sobre o jogo a ser disputado nos Estados Unidos", assim que a La Liga entregue "um relatório descritivo do projeto".

O presidente da La Liga, Javier Tebas, confirmou na semana passada que o Girona-Barça "tem 90% de hipóteses de ser disputado nos EUA" e destacou que apenas clubes que aceitem de maneira voluntária jogarão fora de Espanha.

Para convencer os adeptos, serão oferecidos bilhetes e voos grátis, assim como compensações por ter o número de jogos em casa reduzido.

O Girona aceitou a proposta porque "é uma grande oportunidade de se expandir e crescer, não só para o clube mas para a cidade e o território".

Sergio Busquets, um dos capitães do Barcelona e de Espanha, garantiu nesta segunda-feira que "nós não negámos nem dissemos que sim. O que queremos é procurar boas condições para todos, não só para os jogadores mas para os adeptos e os clubes".

A Federação Espanhola de Futebol também se opõe a jogos disputados fora do país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.