O internacional brasileiro do Real Madrid chegou a acordo com o Fisco Espanhol e vai pagar uma multa de 753,625 mil euros por defraudar o Estado em 1,169 milhões de euros. Além disso, Marcelo foi ainda condenado a quatro meses de pena suspensa, segundo avança o jornal espanhol 'El Mundo'.

O caso remonta a 2013, quando Marcelo criou uma estrutura corporativa para esconder os rendimentos recebidos pela exploração dos seus direitos de imagem. Em novembro do ano passado, o jogador brasileiro tinha já admitido o delito.

Com o objetivo de conseguir "um benefício fiscal ilícito", o jogador escondeu nas suas declarações de 2011, 2012 e 2013 os valores cobrados por esses direitos de imagem. Após a declaração de 2013, em setembro do ano seguinte, o Tesouro espanhol chegou mesmo a devolver a Marcelo 10.258,34 euros.

No processo, uma das empresas que fazem parte da rede (Chaterella Investors Limited) obteve em 2011 e 2012 rendimentos faturados ao Real Madrid que causaram prejuízo ao Tesouro público espanhol de 100.476 euros e 101.615, respetivamente. Como estes valores são inferiores a 120 mil euros, não são considerados crimes contra o Tesouro.

Em 2013, no entanto, a empresa Birsen Trade, S.A. obteve um rendimento de 1.168.764,38 euros aparentemente derivado dos direitos de imagem do jogador cobrados ao Real Madrid, Adidas e Panini, que não foram pagos na Base de Imposto de Renda Pessoal, e que causou a perda para o Tesouro de 490.917,70 euros.

O brasileiro Marcelo é mais um nome na lista de jogadores envolvidos em processos de fuga ao fisco em Espanha e que inclui os portugueses Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão e Ricardo Carvalho, bem como o argentino Lionel Messi e o colombiano Radamel Falcao.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.