Em entrevista ao programa "Perros de la Calle" da Radio Metro, o craque argentino fez algumas revelações sobre o Barcelona, a sua família e os 'eternos rivais'.

"Os responsáveis do Barcelona conversaram comigo sobre a possibilidade de assinar um contrato vitalício, como fizeram com o Iniesta. O que eu disse foi que não quero um contrato que me prenda. Não quero ficar se não estiver bem. Quero competir, desistir e continuar a lutar por um objetivo, não por um contrato. Mas aqui eu ficaria a vida inteira", começou por revelar.

De seguida, Messi apontou um dos 'problemas' dos argentinos. "Um dos nossos maiores erros é acreditar que somos os melhores de todos. E a verdade é que, em muitas coisas, estamos muito distantes. Eu tive que lutar, tive que deixar o meu país, a minha família, os meus amigos aos 13 anos", recordou.

O avançado dos catalães falou ainda da sua vida familiar em Espanha. "Conheço bem Barcelona. Andei pelas Ramblas, a Sagrada Família, mas a verdade é que agora gostaria de fazer isso com os meus filhos. Eles conhecem pouco, eu adoraria passear e curtir, sair para comer sem que ninguém me conhecesse. Eu também faria pela Rosario", acrescentou.

Por fim, Messi falou da relação com Neymar e Cristiano Ronaldo. "Falo com o Neymar com frequência. Continuamos a manter um grupo no WhatsApp, que também incluiu o Luis Suarez. É difícil ele voltar, tendo em conta a forma como ele saiu daqui. Muitos membros e pessoas do clube não querem que ele volte", lamentou.

Quanto ao internacional português, o argentino revelou que "foi bom quando Cristiano Ronaldo estava em Espanha, ele tornou os clássicos muito mais especiais e a La Liga também."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.