São inúmeros os jogadores e treinadores em Espanha que foram ou têm estado na mira da autoridade tributária espanhola. A questões de fuga ao fisco foram uma das constantes durante este defeso e promete mais capítulos num futuro próximo. Esta segunda-feira, foi Cristiano Ronaldo a ser presente a um juiz para dar explicações sobre o caso. O internacional português tinha o maior valor em falta, uma suposta dívida de 14,7 milhões de euros.

Contudo, o fisco não olha a emblemas e passa por todos os lados em Espanha. Para além de Ronaldo, Messi também esteve envolvido. Fora dos relvados e nos bancos de suplentes, José Mourinho também foi associado. Os casos de futebolistas e treinadores que têm sido alvo do fisco de 'nuestros hermanos' têm surgido em catadupa.

Num levantamento do que já foi dito e indiciado, os casos que têm feito correr muita tinta na imprensa desportiva têm quase todos origem em empresas off-shores em paraísos fiscais onde os jogadores alocam os fundos derivados de direitos de imagem.

Na lista do fisco, os gigantes de Espanha, Barcelona e Real Madrid aparecem à cabeça, com os dois clubes a somaram inúmeros casos em que os seus atletas acabaram investigados pelo fisco por não declararem integralmente todos os seus ganhos financeiros. No entanto, a investigação vai para além dos dois.

Existem casos já julgados e outros que ainda estão a ser investigados.

Leo Messi

O caso do craque do Barcelona já foi julgado. Messi foi condenado a 21 meses de pena suspensa e a uma multa de dois milhões de euros. O jogador evadiu 4,16 milhões de euros em impostos durante os anos de 2007, 2008 e 2009. Na sequência deste caso, também a Fundação Messi foi investigada com foco no pai do jogador argentino.

Fisco investiga contas da Fundação Messi
Fisco investiga contas da Fundação Messi
Ver artigo

Javier Mascherano

O argentino pagou uma multa de 800 mil euros e foi condenado a 12 meses de pena suspensa, depois de ter defraudado o fisco espanhol em 1,5 milhões de euros entre 2011 e 2012. O segundo caso na equipa do Barcelona e que já está resolvido nos tribunais espanhóis.

Acusados de fraude fiscal

Cristiano Ronaldo

Foi uma das bombas dos últimos dias no universo desportivo. Investigado pela prática de fraude fiscal no valor de 14,7 milhões de euros, o jogador apresentou-se hoje em tribunal numa presença que já tinha sido anunciada. Com 14,7 milhões, a suposta ‘fuga’ do português é o caso mais grave. No rescaldo da audiência, o jogador luso recusou falar aos jornalistas.

Mourinho

Foi a notícia do dia quando a imprensa espanhola avançou com a entrada de José Mourinho nas ‘teias’ do fisco espanhol. As autoridades tributárias apresentaram uma queixa contra José Mourinho, acusando o treinador português de lesar o fisco em 3,3 milhões de euros quando era treinador do Real Madrid.

Alexis Sánches

O jogador do Arsenal, durante a sua passagem pelo Barça, não declarou os direitos de imagem entre 2012 e 2013. Defraudou o fisco em cerca de um milhão de euros. Entretanto, o jogador prosseguiu carreira em Inglaterra, mas o fisco não conhece fronteiras.

Angel Di María

Entre 2012 e 2013 não declarou um valor a rondar os 2 milhões de euros. Para evitar a prisão, Di Mária teve que devolver essa verba. Como Sánchez, o argentino também deixou a Liga Espanhola, mas está ligado à questão do fisco.

Fábio Coentrão

Está acusado de ter defraudado o estado espanhol em cerca de 1.291.398 euros. Foi ouvido em tribunal antes de se juntar ao Sporting e disse que não se lembrava desse período nem de quem o tinha aconselhado. Jorge Mendes, outra personagem ligada à questão do fisco, ficou de fora das declarações do, agora, jogador do Sporting.

Fábio Coentrão não referiu Jorge Mendes em tribunal
Fábio Coentrão não referiu Jorge Mendes em tribunal
Ver artigo

Radamel Falcao

O então avançado do Atlético de Madrid também foi acusado pelo facto de não ter declarado uma verba a rondar os 5,5 milhões de euros durante os anos de 2012 e 2013. O colombiano foi o primeiro caso a sair da órbitra Real Madrid/ Barcelona.

Falcao paga uma fortuna ao Fisco espanhol
Falcao paga uma fortuna ao Fisco espanhol
Ver artigo

Ricardo Carvalho

Também foi indiciado de fraude fiscal num valor de cerca de 400 mil euros. Um valor mais baixo do que os restantes, mas que o fisco não perdoa. Na China, o central continua a sua carreira enquanto futebolista.

Adriano

Foi acusado de defraudar o estado em cerca de 646 mil euros entre 2011 e 2012 enquanto jogador do Barcelona. É um dos casos com menos mediatismo, mas que o fisco espanhol acompanha com atenção.

Samuel Eto´o

O Ministério público pede pena de prisão para o jogador do Barcelona para crimes de delitos fiscais cometidos entre 2006 e 2009. Solicita ainda o pagamento de uma multa de 14 ME.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.