Se Cristiano Ronaldo continuar firme na sua decisão de abandonar o Real Madrid durante este mercado de transferências, o negócio valeria 400 milhões de euros aos cofres do emblema espanhol.

De acordo com o jornal espanhol Marca deste sábado, os dirigentes do Real Madrid preferem esperar pelo fim da Taça das Confederações, onde Cristiano Ronaldo participa ao serviço da seleção portuguesa, para se reunir com o português e conversar.

Apesar da cláusula de rescisão do craque luso estar fixada nos mil milhões de euros, a operação pela venda do passe do jogador implicaria valores bem abaixo, na ordem dos 300 milhões, representando mesmo assim um excelente encaixe financeiro para os cofres madrilenos.

Estes valores altíssimos estão ao alcance de clubes europeus como Manchester United e Paris Saint-Germain. Claro que já existem propostas semelhantes provenientes da China, mas o capitão da seleção portuguesa não está interessado, para já, no campeonato chinês.

Além dos 200 milhões da venda do passe do jogado, o Real Madrid pouparia mais 200 milhões de euros em salários, uma vez que Ronaldo está a receber 50 milhões de euros por ano e tinha contrato com os merengues até 2021, logo, mais quatro anos.

O futebolista português é acusado de quatro delitos contra os cofres do Estado, cometidos entre 2011 e 2014, que contabilizam uma fraude tributária de 14.768.897 euros. O Real Madrid terá pedido aos meios de comunicação social da capital espanhola para tratarem deste assunto com fotografias do jogador com a camisola da seleção e não a do Real Madrid, decisão que terá magoado o português.

Ao serviço do Real Madrid, clube ao qual chegou em 2009, Cristiano Ronaldo já venceu três ligas dos campeões, duas ligas espanholas, duas taças do Rei, uma supertaça europeia, uma supertaça espanhola e um mundial de clubes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.