Gabriel Alves, antigo comentador desportivo, costumava dizer, a respeito dos jogadores acima dos 30 anos, que 'Velhos são os trapos'. Pois bem, Cristiano Ronaldo continua a fazer valer esta máxima e a provar que a idade não passa por ele.

A verdade é que Cristiano Ronaldo tornou-se num 'predador' dentro da área. Especializou-se na arte de meter a bola dentro da baliza, como atestam os seus números. Antes dos 30 anos, Cristiano Ronaldo tinha marcado 52 golos em 118 jogos com a camisola da seleção principal de Portugal. Depois dos 30, o capitão luso já marcou 34 tentos em apenas 39 partidas, ou seja, nos últimos quatro anos, marcou 34 golos na Seleção lusa. Cristiano Ronaldo parece estar mesmo como o vinho do Porto: quanto mais velho, melhor.

O capitão da seleção fez um hat-trick na vitória de Portugal sobre a Suíça, colocando os lusos na final da primeira edição da Liga das Nações. Este foi o seu sétimo hat-trick por Portugal e o 54.º da carreira, entre clubes e seleções.

O Estádio do Dragão já tem uma relação próxima com o craque português, que se estreou a marcar na Seleção das quinas, exatamente na casa do FC Porto, no Euro2004, de má memória para Portugal. Este foi o seu 10.º golo no Dragão em quatro jogos, depois de ter marcado à Grécia, Dinamarca e Suíça pela Seleção e ao FC Porto na Liga dos Campeões em 2009 pelo Manchester United, naquele que foi o golo do ano na prova.

Ronaldo ultrapassou o húngaro Puskas e passou a ser o segundo melhor marcador de sempre de uma seleção, com 88 golos, estando agora a 21 golos do recorde mundial do iraniano Ali Daie, que marcou 109 pelo Irão.

O atacante português não marcava pela seleção lusa desde o segundo jogo do Mundial de 2018, frente a Marrocos (1-0, em 20 de junho), sendo que, depois disso, tinha disputado apenas quatro jogos. O número 7 luso marcou os primeiros golos na Liga das Nações, na estreia na prova.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.