A seleção holandesa de futebol falhou o Europeu de 2016 e o Mundial de 2018, mas 'renasceu' com Ronald Koeman, 'arrumou' os 'tubarões' França e Alemanha e está na 'final four' da Liga das Nações com um segundo título na mira.

Após o terceiro lugar no Mundial de 2014, rematado com um 3-0 ao anfitrião Brasil, a 'laranja' perdeu a 'mecânica' e não esteve em França, batida na qualificação por República Checa, Islândia e Turquia, e na Rússia, superada por França e Suécia.

A Holanda 'bateu no fundo', mas tudo mudou, no início de 2018, com a chegada do ex-treinador do Benfica (2005/06), que fez regressar consigo a alegria e o espetáculo ao futebol holandês, montando uma equipa capaz de se bater com as melhores.

Acabada a 'era' de 'gigantes' como Robben, Van Persie ou Sneijder, a seleção dos Países Baixos renasceu com sobreviventes de 2014, como Cilessen, Daley Blind, Wijnaldum ou Memphis Depay, outros jogadores experientes, como Van Dijk ou Babbel, e 'miúdos' como De Ligt e De Jong.

Falhadas duas fases finais consecutivas, o 'ressuscitar' da seleção acabou por acontecer de forma algo inesperada, já que dificilmente o 'onze' de Ronald Koeman poderia ter adversários mais poderosos no primeiro teste oficial.

No Grupo 1 da Liga A da Liga das Nações, a Holanda teve pela frente os dois últimos campeões do Mundo, a França (2018) e a Alemanha (2014), sendo que só o primeiro lugar valia o 'passaporte' para a 'final four'.

A campanha nem começou bem, com um desaire em França por 2-1, num jogo em que Babel 'anulou' o tento de Mbappé e Giroud deu o triunfo aos campeões mundiais, mas a resposta foi um categórico 3-0 à Alemanha, selado por Van Dijk, Memphis Depay e Wijnaldum.

A retoma foi confirmada de seguida, com uma vitória marcante na receção à França - que não perdia um jogo oficial desde 09 de junho de 2017 (1-2 na Suécia) -, por 2-0, de novo com Wijnaldum e Depay como marcadores.

No fecho do agrupamento, na Alemanha, a Holanda só precisava de empatar, mas perdia por 2-0 após 20 minutos. O apuramento parecia perdido, só que Quincy Promes, aos 85 minutos, e Van Dijk, nos descontos, selaram a sensacional qualificação.

Com a excelente época do Ajax, que chegou às meias-finais da Liga dos Campeões, e, individualmente, de outros jogadores, como os 'reds' Van Dijk ou Wijnaldum, a Holanda chega a Portugal com a ambição de somar um título ao do Europeu de 1988.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.