Bruno Lage analisou a partida frente ao Zenit, a contar para a 6.ª jornada do grupo G da Liga dos Campeões. O técnico voltou a falar das mudanças da equipa e assumiu a culpa pela não qualificação para a próxima fase da Liga dos Campeões.

Veja o vídeo da conferência

Mudança no tipo de gestão que faz na equipa, ao repetir o mesmo onze?

"Não fizemos gestão, utilizamos o mesmo critério em todas as situações. Jogar em casa. Antes do jogo está tudo bem, depois do jogo. Hoje o Cervi está no onze. Sentimos pelo que tinha sido o nosso início de época, a nossa transição defensiva não estava tão forte. Optamos por Pizzi e Cervi. Fomos a Zenit, em função das lesões. Jogámos com uma equipa semelhante à que jogou hoje. Olhando para as nossas opções tomei sempre as melhores, a cada momento. Lembra-se onde jogou este onze pela primeira vez? Na Alemanha. Qual é diferença é ganhar. Estamos sempre sujeitos a isso. Mais importante termos consciência do que vamos fazendo. Perceber o tipo de adversário à frente. A equipa tem uma mentalidade competitiva muito forte. Fazer de cada jogo, o que temos feito. Lutar para vencer e ser cada vez mais consistentes."

Na Liga Europa, o objetivo é vencer?

"O objetivo é ter uma mentalidade forte, independentemente da competição. A nossa obrigação é dar boa resposta, é por isso que eu trabalho arduamente. E que a equipa dê boas respostas."

Assume-se como responsável?

"Desde o primeiro dia, serei sempre o rosto do insucesso. Eles têm sido incansáveis. Esta rapaziada trabalha muito, analisa muito o processos e os seus jogos. E como assim é, o treinador sai em sua defesa. E não tenho problema em assumir os fracassos coletivos da equipa."

Porque é que hoje escolheu repetir o onze?

"Senti que a cada momento que a equipa estava com qualidade. Procuramos as melhores decisões. Quando iniciamos as competições, quantos jogadores estavam disponíveis? Chiquinho esteve fora, Gabriel esteve fora, Vinícius fora. Temos que ter a capacidade para analisar o que a equipa pede a cada momento. Ainda serei criticado por manter a mesma equipa. Na equipa B era criticado por isso. Quando ganhamos não falta nada. Temos que ter a consciência para fazer o melhor. Temos agora um jogo difícil frente ao Famalicão."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.