Josep Guardiola sublinhou que o levantamento da suspensão do Manchester City das competições europeias foi "um bom dia para o futebol" e apontou o dedo a Liverpool, Manchester United e Arsenal por se sentirem desconfortáveis ao verem os 'cityzens' entre a elite.

Segunda-feira, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) decretou que a exclusão por duas temporadas do City das competições europeias, imposta pela UEFA depois de esta ter considerado o clube culpado de infringir as regras do Fair Play Financeiro e apresentar dados falsos ao organismo máximo do futebol europeu, devia ser levantada. A multa aplicada ao City foi também reduzida de 30 para 10 milhões de euros, depois de comprovado que o clube tinha obstruído a investigação da UEFA.

Jürgen Klopp, treinador do Liverpool, descreveu a decisão do TAS como má para o futebol e José Mourinho foi mais longe e apelidou-a de "um desastre", questionando o porquê da multa se deram o City como ilibado.

Questionado sobre os comentários do treinador português do Tottenham, Guardiola afirmou: "José e outros treinadores deviam saber que fomos prejudicados e que nos deviam pedir desculpa. Se fizemos algo de errado, aceitamos as determinações da UEFA e do TAS. Não esperamos que Liverpool, Tottenham, Arsenal, Chelsea, Wolves e outros nos defendam. Mas nós podemos defender-nos. Temos o direito de nos defender quando acreditamos que o que fizemos é correto", apontou o técnico espanhol.

O técnico do City prosseguiu, lembrando a deliberação e recordando as acusações feitas ao clube antes da decisão do TAS, esquecendo a presunção de inocência que é devida a quem está a ser julgado. "Três juízes independentes do TAS disseram de sua justiça Foi um bom dia para o futebol, pois estivemos sujeitos às mesmas regras que todos os outros clubes europeus". De seguida, sublinhou que a reputação do clube foi afetada e que há quem deva um pedido de desculpas ao conjunto de Manchester. "As pessoas disseram - demasiadas vezes - que mentimos. A presunção de inocência não existiu. Seria bom que essas acusações parassem. Liverpool, United e, sobretudo, Arsenal não estão confortáveis com o facto de nós estarmos aqui, entre a elite. Mas merecemos cá estar. Há pessoas incríveis a trabalhar neste clube", comentou.

Guardiola referia-se ao facto de, em março, Liverpool, Tottenham, Manchester United, Arsenal, Wolves, Leicester, Burnley e Chelsea terem dirigido uma carta ao TAS a pedir que a decisão fosse tomada antes do início da próxima temporada

Também o presidente da Liga Espanhola de Futebol, Javier Tebas, questionou a decisão do TAS. E também a ele Guardiola respondeu. "O Señor Tebas deve ter inveja do futebol espanhol. Sendo ele um incrível especialista em questões legais, talvez da próxima vez seja bom perguntar-lhe que juizes e que tribunais acha eles que devem decidir estas questões. Ele tem de se preocupar com a Liga espanhola e com o que se passa lá", terminou o treinador do City.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.