O futebolista João Carlos Teixeira considera que o treinador dos ingleses do Liverpool, Jurgen Klopp, com quem trabalhou na época 2015/16, se destaca por ser "taticamente forte", mas também pela "relação próxima com os jogadores".

Na antecâmara da final da Liga dos Campeões de futebol, entre Liverpool e Tottenham, no dia 01 de junho, em Madrid, o jogador do Vitória de Guimarães, da I Liga portuguesa de futebol, realçou à Lusa que o técnico alemão, ao longo dos últimos quatro anos, elevou o nível competitivo do clube devido ao seu trabalho tático e mental.

"É um treinador que vive muito o futebol e que tem uma relação muito próxima com os jogadores. Cativa-os muito. Ele é muito bom taticamente, mas também [se distingue] pela intensidade que impõe e pela forma como motiva os jogadores para encararem os jogos", afirmou o médio, de 26 anos.

João Carlos Teixeira transferiu-se para o clube do norte de Inglaterra no início da época 2012/13, com 19 anos, após ter cumprido quase toda a formação no Sporting, mas só se estreou pela equipa principal em 28 de outubro de 2015, 20 dias depois da chegada de Jurgen Klopp, num jogo com o Bournemouth, para a Taça da Liga inglesa - o Liverpool venceu então por 1-0.

"Quando ele chegou, eu não estava a jogar. Passadas duas semanas, eu já estava a jogar para a Taça [de Inglaterra], a titular. Obviamente, para mim, foi uma felicidade grande. Acho que ele gostou de mim, na altura", recordou o jogador, que, nessa época, disputou ainda a I Liga inglesa, a Taça de Inglaterra e a Liga Europa - fez sete jogos, no total.

O futebolista considera que o treinador alemão, responsável por um oitavo lugar no campeonato e uma final da Liga Europa, em 2015/16, dois quartos, em 2016/17 e 2017/18, e um segundo, em 2018/19, soube adaptar o Liverpool a um estilo de jogo de "pressão alta, intensidade e muitos ataques rápidos à baliza" graças a boas contratações.

"Já tínhamos bons jogadores, mas o Klopp basicamente soube construir uma equipa. Fez um bom plano e boas contratações", afirmou.

O ex-pupilo de Klopp mostrou-se convicto de que o seu antigo clube, do qual guarda uma "experiência positiva", tem condições para vencer a principal competição europeia de clubes pela sexta vez, depois de 1977, 1978, 1981, 1984 e 2005, mas reconheceu que "não vai ser fácil".

"São duas equipas inglesas que se conhecem bem. É a primeira vez que o Tottenham chega a uma final da Liga dos Campeões. Vai ser um jogo interessante e intenso. Acredito num 2-1 para o Liverpool", disse.

O ex-pupilo de Klopp lembrou ainda que a passagem por Inglaterra o obrigou a adaptar-se a um futebol talvez "menos tático" do que em Portugal, mas "mais rápido, intenso e físico", com uma "grande atmosfera" em seu redor.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.