O Benfica perdeu hoje por 3-1 em Lyon e ficou muito perto de dizer adeus à Liga dos Campeões pela terceira época consecutiva, após a quarta jornada do Grupo G. Joachim Andersen, aos quatro minutos, Memphis Depay, que já havia faturado nas três primeiras rondas, aos 33', e Bertrand Traoré, aos 89', apontaram os tentos dos franceses, enquanto Seferovic faturou para os 'encarnados', aos 76'.

Em relação ao onze que entrou de início contra o Rio Ave, no último sábado, Bruno Lage fez duas trocas: André Almeida e Pizzi começaram no banco, com a titularidade a ser entregue a Tomás Tavares e Gedson Fernandes. Como já tinha acontecido nos últimos dois jogos, o treinador do Benfica voltou a juntar Chiquinho e Vinícius no ataque à baliza de Anthony Lopes.

Na equipa do Lyon, comandada por Rudi García, não houve surpresas, mas houve uma entrada a todo o gás, com Andersen a marcar logo aos cinco minutos: canto curto na direita excelente cruzamento de Dubois para o coração da área, com Andersen a elevar-se entre os centrais do Benfica e a cabecear à vontade para o fundo da baliza.

Minutos depois, os ‘encarnados’ sofreram novo contratempo. Ferro chocou com Vlachodimos e acabou por deixar o relvado de maca e protegido por um colar cervical, tendo sido substituído por Jardel (16’).

O primeiro sinal ofensivo do Benfica surgiu ao minuto 24, com Chiquinho a rematar fraco ao lado da baliza de Anthony Lopes, mas era preciso muito mais para dar a volta à situação. Gedson também tentou a sorte em mais do que uma ocasião, mas sem sucesso.

O Lyon, por sua vez, apostava nas transições rápidas, fazendo uso da velocidade de jogadores como Depay, que ainda assustou aos 25’, com um remate à entrada da área - a bola sofreu um ressalto em Rúben Dias e passou ao lado.

O internacional holandês acabou mesmo por marcar aos 33’, depois de Aouar fugir em velocidade a Tomás Tavares, cruzando para Depay, que só teve de encostar. 2-0 para o Lyon, numa situação que já não é nova para os encarnados - em 9 dos últimos 10 jogos fora de casa na Champions, as águias sofreram sempre pelo menos dois golos.

O Benfica só conseguiu aparecer no jogo já perto do intervalo, com Chiquinho a rematar à figura de Anthony Lopes, e Gedson, logo a seguir, a falhar o desvio ao segundo poste, após cabeceamento de Gabriel num canto.

A segunda parte arrancou com uma alteração no lado do Benfica. Bruno Lage tirou Gedson e lançou Seferovic no ataque, com Chiquinho a jogar sobre a direita. O avançado suíço obrigou Anthony Lopes a uma defesa apertada aos 57', já depois de Chiquinho atirar por cima da trave na marcação de um livre.

Os 'encarnados' procuravam o golo, mas continuavam a arriscar pouco no processo ofensivo. Gabriel cabeceou com perigo na sequência de um canto aos 62' minutos, e aos 67' atirou colocado, mas para fora. Pouco depois foi a vez de Vlahodimos defender a dois tempos o remate de Tousart.

Aos 73 minutos Pizzi entrou para o lugar de Cervi e não precisou de muito tempo para fazer estragos. É dele o passe magistral a desmarcar Seferovic, que dominou a bola com o peito antes de atirar a contar. O golo foi inicialmente anulado por fora de jogo do suíço, com o árbitro a validar o lance após consultar o VAR.

O Benfica ganhou novo fôlego na busca do empate, mas acabou por ser o Lyon a faturar, aos 90', num remate colocado de Traoré, com a defesa 'encarnada' a revelar muita apatia, confirmando assim um 'desaire' que complica bastante as contas da equipa de Bruno Lage na Champions.

Na classificação, lideram os alemães do Leipzig, que hoje venceram por 2-0 em São Petersburgo, com nove pontos, contra sete do Lyon, quatro do Zenit e três do Benfica, que na ronda anterior tinha batido em casa os franceses por 2-1.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.