O Atlético de Madrid defronta esta terça-feira o todo poderoso Liverpool, em jogo da primeira-mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, Os espanhóis estão à procura de uma vitória que incentive a equipa e dissipe dúvidas sobre a formação orientada por Diego Simeoone. O Atlético atravessa a segunda pior fase da época com apenas uma vitória nos últimos sete jogos (entre outubro e dezembro de 2019 teve uma vitória em oito jogos).

A equipa madrilena, que está a ter a pior temporada desde que Diego Simeone assumiu o comando, enfrenta os comandados de Jurgen Klopp, que procuram revalidar o título europeu.

Com a Premier League praticamente no 'bolso', o Liverpool pode concentrar aos seus esforços na 'Champions' e no Atlético, uma equipa com muitos problemas ofensivos.

O emblema madrileno, que ficou em segundo no seu grupo, atrás da Juventus, recebe o Liverpool após o empate em 2-2 na sexta-feira com o Valencia, adversário direto na luta pelas posições de 'Champions' na Liga Espanhola.

Simeone à espera de Diego Costa mas sem João Félix

Na falta de golos, com apenas cinco marcados nos últimos sete jogos, o Atlético contou com o regresso de Álvaro Morata na sexta-feira contra o Valencia e espera ter Diego Costa, recuperado da sua operação a uma hérnia discal, para o duelo contra a equipa inglesa.

Por outro lado, parece pouco provável que possa contar com o jovem português João Felix, que sofreu uma lesão muscular e uma faringotonsilite, o que o impediu de treinar durante semana passada.

"[O empate contra o Valencia] "dá-nos confiança e moral para o jogo desta terça-feira contra o Liverpool, que é muito importante para nós. Esta fase a eliminar é muito difícil, é complicado, mas estamos preparados e estamos ansiosos pelo jogo. Tenho a certeza que vamos seguir em frente", acrescentou", disse o médio do Atlético, Marcos Llorente.

"Temos que entrar em campo para jogar, competir, deixar uma boa imagem e estou certo de que, ao fazer isso, temos muitas hipóteses de avançar para os quartos-de-final porque confio na minha equipa", garantiu Saúl Ñíguez, ao site do Atlético Madrid.

E não será fácil para a formação 'rojiblanca' contra o Liverpool, uma equipa em plena marcha triunfante rumo ao título de campeão inglês, onde ainda não sofreu qualquer derrota e domina com uma confortável vantagem de 25 pontos sobre o Manchester City.

"Sentimos que podemos alcançar o que queremos, temos um longo caminho, mas vamos continuar", disse o guarda-redes brasileiro Alisson à 'Folha de São Paulo'.

Duas equipas parecidas

Vencedor do último Mundial de Clubes, o Liverpool sofreu apenas uma derrota, contra o Nápoles (2-0), na fase de grupos da 'Champions', mas mesmo assim terminou em primeiro lugar do grupo, à frente do emblema italiano.

A equipa inglesa muda agora o 'chip' e entra em 'modo champions' para tentar deixar bem encaminhada a eliminatória e resolver a questão na segunda-mão em Anfield, no dia 11 de março.

O técnico alemão Jurgen Klopp não poderá contar com o atacante suíço Xherdan Shaqiri, mas terá à disposição o seu temível trio ofensivo formado por Mohamed Salah, Roberto Firmino e Sadio Mané, que se recuperou de uma lesão e jogou no último fim de semana na vitória contra o Norwich na Premier League, jogo em que marcou o golo da vitória.

Mas apesar da sua série vitoriosa, o Liverpool não pretende relaxar diante do Atlético. A formação espanhola perdeu apenas dois jogos da 'Champions' em casa dos 33 que Simeone comandou a equipa

"Eles são muito parecidos connosco, são lutadores. São uma equipa mais ou menos como nós, também muito difícil de vencer", disse o médio holandês Georginio Wijnaldum, do Liverpool, ao site da UEFA, garantindo que "serão partidas realmente difíceis".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.