A decisão do Tribunal Arbitral do Desporto, que coloca o City nas competições europeias no próximo ano continua a dar que falar, e Javier Tebas, presidente da Liga Espanhola, não baixa a contestação.

Em entrevista à ESPN, o presidente da Liga Espanhola começa por considerar que a pena da UEFA aos 'citizens' não apanhou o futebol europeu de surpresa, mas que o mesmo não se pode dizer da decisão do TAD

"Eu não quero dizer que as pessoas estavam felizes, mas finalmente existia um sentimento de justiça contra estes grandes clubes detidos por estados. (...) Quando o TAD reverteu a decisão existiram protestos - de Klopp e Mourinho - porque todos sabemos que eles estão a tentar arranjar forma de dar a volta às regras do Fair-Play Financeiro. Como disse Klopp, foi um dia mau para o futebol", disse.

Tebas reforça a ideia que o Manchester City está na Champions do próximo ano não por ser inocente, mas graças ao TAD.

"O City vai estar na Liga dos Campeões da próxima época porque o TAD fez as coisas mal, não porque o City fez tudo corretamente", afirma, antes de considerar que o Tribunal Arbitral do Desporto é um organismo que lhe tem suscitado dúvidas ao longo dos anos, considerando mesmo que está "morto".

"O TAD está morto. Tenho tido muitas dúvidas sobre o TAD ao longo dos anos, não só por esta decisão, mas por muitas outras. É o oposto do que devia de ser, não existe transparência", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.