Mauricio Pochettino não sente que o Tottenham tenha sido surpreendido pelo Ajax, na primeira-mão das meias-finais da Liga dos Campeões. Numa longa entrevista ao jornal espanhol 'El Pais', o técnico explicou porque os 'spurs' perderam o jogo. O argentino fez ainda um retrato deste Ajax de Erik ten Hag.

"Dominam-te pela frescura, pela dinâmica. Às vezes as situações mais complexas no jogo de ataque são geradas de forma espontânea, pela vontade em ter bola. Se há algo em que eles nos venceram na primeira-mão [da Liga dos Campeões] foi na vontade de ter bola. Quando analisamos o jogo, não vimos nenhuma falha tática, ou posicional, ou na forma como planeámos o jogo e que eles tenham encontrado uma debilidade na nossa forma de jogar. Não, foi no desejo de ter bola. 'Passo e corto, passo e procuro o espaço, passo e movimento-me. Quero a bola! Procuro-a sem medo de errar'", analisou.

Pochettino lembrou que a segunda parte poderia ter sido diferente se o Tottenham tivesse sido mais atrevido.

"Na segunda parte, com um pouco mais de esforço, poderíamos ter causado problemas e eles não fizeram quase anda. Parece-me uma equipa com jogadores tecnicamente muito bons mas também com uma grande irresponsabilidade e grande liberdade em campo. E isso é muito difícil de encontrar numa equipa. Sentem-se completamente à vontade para se expressarem em campo porque não se espera nada deles. Não se esperava nem se espera. Tem essa inocência de dizer: 'Saio para jogar futebol'", respondeu.

"Eles têm essa irresponsabilidade porque jogam com vontade. Não demonstram uma grande organização estrutura na hora de jogar em posse ou de defender. É uma equipa mais espontânea na tomada de decisões a nível individual que coletivo, predominam as ações individuais", terminou.

No meio de tanta espontaneidade e irresponsabilidade e numa equipa onde se fala muito de Tadic, De Jong e De Ligt, é outro jogador que preenche as medidas de Pochettino: Van Der Beek.

"Não se fala muito dele mas tem uma dinâmica de jogo... coloca-se nas costas de Tadic, trabalha, marca golos. Claro que gosto de De Jong e De Ligt mas o exemplo de funcionamento deste Ajax é Van der Beek", analisou.

O treinador do Tottenham elogiou também a forma como o Ajax foi superior frente a grandes 'tubarões' europeus como Bayern Munique, Juventus e Real Madrid.

"Eles têm um jogador jovem da formação em cada sector, o que demonstra o que é a equipa. Não se lhes pode dizer, 'vai para a esquerda para ganhar superioridade numérica' ou 'corre para ganhar as costas'. Têm dois extremos naturais que fazem o que Tadic não gosta, que é trabalhar a nível defensivo. David Neres, Van Der Beek e Ziyech dão ao Ajax esse atrevimento espontâneo. Não tem nada a perder e isso viu-se na fase de grupos contra o Bayern. Foram superiores também em contra o Real Madrid, Juventus e connosco durante 20 minutos", terminou.

O Tottenham defronta esta quarta-feira o Ajax, da segunda-mão das meias-finais da 'Champions', num encontro marcado para às 20h00. Os holandeses venceram na primeira-mão por 1-0. Quem passar irá defrontar o Liverpool na final, marcado para o Wanda Metropolitano, em Madrid.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.