Gonçalo Santos, atual médio do Estoril, vestiu a camisola do Dínamo Zagreb durante três temporadas (2014 e 2017) e apesar de considerar o Benfica favorito na eliminatória dos oitavos de final da Liga Europa, avisa que a formação croata "está a viver um sonho" na prova e, como tal, vai dar tudo para passar à próxima fase.

"Apesar de controlar o campeonato croata, a verdade é que o Dínamo não tem tido grandes resultados na Europa. Acho que é a primeira vez nos últimos 20 ou 30 anos que passa a fase de grupos. Para eles é um sonho chegar até aqui e neste momento acreditam em tudo", afirmou o médio português ao SAPO Desporto.

A liga croata (Prva HNL) foi criada em 1992, depois de consumada a independência da Croácia. Desde então o Dínamo de Zagreb já foi campeão em 19 ocasiões, 11 das quais de forma consecutiva, num domínio sem precedentes no futebol croata. Este ano não será exceção.

"Neste momento estão com 14 pontos de avanço sobre o segundo classificado [Rijeka], são praticamente campeões, por isso vão apostar tudo na Liga Europa e nestes dois jogos contra o Benfica, porque se perderem deixam de ter objetivos para o que resta da temporada", admitiu o jogador, que em 2015 sagrou-se campeão com mais quatro portugueses: Eduardo, Ivo Pinto, Paulo Machado e Wilson Eduardo.

Equipa do Dínamo Zagreb na época 2015/2016
Equipa do Dínamo Zagreb na época 2015/2016 créditos: AFP

Tal como acontece com o Benfica, Gonçalo Santos destaca a juventude deste Dínamo Zagreb e alerta para a qualidade de Dani Olmo, que com apenas 20 anos já é a principal estrela do conjunto croata - leva seis golos na presente temporada. "Chegou ao Dínamo na mesma altura que eu, em 2014, vindo do Barcelona, e foi crescendo bastante na equipa. É um jogador muito rápido, que tem atuado como segundo avançado, nas costas do Petkovic, um ponta de lança mais fixo e mais forte", começa por analisar o atleta do Estoril.

Já o jogo do Dínamo de Zagreb, avisa, passa acima de tudo "pelo contra-ataque e pelas bolas paradas". "Normalmente jogam em bloco médio-baixo, não pressionam muito alto, preferem deixar as outras equipas jogarem. O Dínamo sente-se confortável quando não tem a bola, até porque a equipa está montada dessa forma, e depois sai muito em contra-ataque", analisa Gonçalo Santos, deixando um aviso à formação de Bruno Lage.

"A equipa tem jogadores muito evoluídos tecnicamente, muito rápidos e que vão correr muito. A sensação que dá é que eles nunca se cansam. Vão lutar por cada bola como se fosse a última", adverte.

Ainda assim, refere Gonçalo Santos, o campeão croata não irá subestimar os 'encarnados', mesmo a jogar em casa. "Eles sabem que o Benfica é melhor e que está numa fase mais confiante. Até o treinador deles [Nenad Bjelica] já admitiu isso. Acredito que o Benfica tem mais condições para passar a eliminatória, mas o Dínamo também está a viver um sonho e vai dar tudo para dar continuidade a esse momento", observou.

Em Zagreb, o Benfica pode esperar "um estádio cheio a apoiar a equipa da casa", até porque os adeptos croatas seguem mais atentamente o Dínamo na Europa do que nas competições internas. "Mas não vai ser um ambiente infernal, porque a bancada é muito alta e está longe do relvado, e como o estádio é completamente aberto acaba por não ter aquele ruído que se ouve, por exemplo, na Luz ou no Dragão, os jogadores não vão sentir tanto a pressão dos adeptos", refere Gonçalo Santos.

"Nesse sentido jogar fora primeiro pode ser uma vantagem para o Benfica", remata.

O Benfica entra em ação esta quinta-feira, às 17h55, no Estádio Maksimir. A segunda mão está marcada para o próximo dia 14 de março, às 20h00 na Luz. Na eliminatória anterior, o campeão croata eliminou o Viktoria Plzen, da República Checa, enquanto as 'águias' deixaram pelo caminho os turcos do Galatasaray.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.