Resumo do Jogo

Em Astana, o Sporting esperava dificuldades, depois de uma viagem longa e de ter de jogar em piso sintético. Mas não foi tanto assim, sobretudo a partir do intervalo, com os 'leões' a marcarem todos os golos no segundo tempo.

Tomasov, aos sete minutos, colocou o Astana em vantagem e só ao intervalo Jorge Jesus conseguiu retificar o esquema da sua equipa. Em oito minutos apenas, o Sporting colocou 'um pé' nos oitavos de final, com os golos de Bruno Fernandes (48, grande penalidade), Gelson Martins (50) e Doumbia (56).

O onze e as adversidades

Com Bas Dost lesionado e Mathieu de fora por opção, o treinador Jorge Jesus optou por juntar Bryan Ruiz e Acuña no duelo que prometia ser bem complicado, o que acabou por ser comprovado no primeiro tempo. Além das ausências de dois dos habituais titulares, o clube de Alvalade teve que viajar mais de 6.000 quilómetros para chegar a Astana, onde encontrou temperaturas a rondar os 20 graus negativos. O Astana Arena foi fechado e com a temperatura controlada.

Momento-chave: O forte arranque leonino no reatamento da partida

O início do segundo tempo em Astana foi frenético: Três golos do Sporting em sete minutos. Primeiro foi Bruno Fernandes (um dos melhores em campo esta tarde) na conversão de uma grande penalidade, procedida por uma bola na mão de Logvinenko; seguindo-se um golo habilidoso de Gelson Martins, que passou a bola entre as pernas do guarda-redes; e por fim Doumbia a dar o melhor seguimento à jogada entre Acuña e Bruno Fernandes.

Figuras da partida: Bruno Fernandes, Gelson Martins e Acuña

o Sporting fez o que nunca tinha feito nesta fase da prova, que foi virar um resultado, fora de casa, depois de ter estado a perder ao intervalo. O trio de jogadores Bruno Fernandes, Gelson Martins e Acuña contribuíram muito para a atitude leonina no Cazaquistão.

Jesus, Bruno Fernandes e Rui Patrício alertam prometem não relaxar na segunda mão

Bruno Fernandes: “É preciso ter cuidado com este Astana. Já estávamos à espera de dificuldades e sabíamos que este era um desafio muito importante para eles, mas soubemos contrariar tudo isso e conseguimos chegar ao golo e depois aumentar a vantagem. Isto foi apenas a primeira parte, agora temos que terminar o nosso trabalho no segundo jogo”.

Rui Patrício: “Sabíamos que jogar nestas condições seria completamente diferente. No início do jogo tivemos algumas dificuldades, mas na segunda parte reagimos bem e conseguimos ganhar. Sabemos que é uma boa vantagem para a segunda mão, é uma boa vantagem, mas não podemos facilitar", acrescentou”.

Jorge Jesus: "Senti na primeira parte que a equipa não estava bem posicionada. Com muita incapacidade de chegar à bola, de reduzir o espaço do adversário, independentemente do valor deles. Se me derem espaço eu também jogo, mesmo com 60 anos. No futebol não há timeout e não era fácil corrigir o que queria. Ao intervalo mudámos totalmente o nosso posicionamento. A entrada do Battaglia foi determinante para dar segurança defensiva à equipa e partimos para o segundo jogo com uma vantagem muito boa. Marcar três golos aqui não é fácil. Um ambiente bonito, um estádio espetacular, em que não se sente o frio”.

A segunda mão

O Sporting parte em vantagem quando receber, na próxima quinta-feira, às 18 horas, os cazaques em Alvalade na segunda mão desta eliminatória.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.