O Sporting saiu derrotado, nesta quinta-feira, frente ao PSV (2-3) em partida da primeira jornada do grupo D da Liga Europa.

Desorganização defensiva, mudanças no onze, inexperiência? Os pecados do Sporting continuam a ser muitos, mas os leões poderão ter encontrado a tão desejada solução para o ataque e ganharem simultaneamente um sopro de confiança, depois de exibição de garra e intensidade em terras holandesas.

Com mudanças na dupla de centrais - com Coates e Luís Neto - e com as entradas de Miguel Luís e Vietto, os leões até tiveram um bom início de jogo, sufocando a iniciativa da equipa orientada por Mark Van Bommel.

Mas na manobra defensiva, uma das 'malapatas' da equipa de Alvalade, a equipa voltou a sofrer e de que maneira na noite de Eindhoven.

Ainda antes dos 20 minutos, foi a PSV a chegar à frente do marcador e por intermédio de um dos mais promissores jogadores holandeses da nova geração: Malen. O avançado tirou Neto do caminho e atirou em arco, sem hipóteses para Renan.

Com o Sporting a dar muito espaço ao velozes extremos do PSV, como Bergwijn e Bruma, a equipa da casa dilatou o marcador, cinco minuto volvidos. Bruma fugiu pela direita, cruzou tenso para a área e Coates na tentativa de corte, fez autogolo.

Os leão curiosamente no ataque até estava 'desenvolto', mas sofriam na transição defensiva frente a uma equipa jovem e senhora de si. Os desequilíbrios surgiam a partir do momento em que o Sporting perdia a bola.

Os verdes e brancos reagiram e conseguiram mesmo chegar ao golo à beira do intervalo. Bolasie foi carregado na área por Dumfries e assinalada grande penalidade. Na conversão, Bruno Fernandes reduziu para o Sporting.

Mas com o segundo tempo a vislumbrar-se promissor, a equipa portuguesa quase caiu por terra com o golo de Baumgartl (48´). Atrapalhação dos centrais leoninos, com Viergever a tentar o desvio e com a bola a sobrar para Baumgartl que só teve que encostar.

A partir do terceiro do PSV, temia-se nova crise de confiança no reino do leão, mas tal não sucedeu. Até final, praticamente só deu Sporting. E os ingredientes para nova assalto à baliza holandesa saíram do banco, com as entradas de Jovane Cabral e mais tarde de Pedro Mendes.

Bruno Fernandes voltou a ser o homem da batuta, a comandar a orquestra leonina. Acuña deu um primeiro aviso, num cabeceamento. Pouco depois, Renan parava em duas defesas o quarto do PSV, a remates de Bergwijn e Dumfrie.

Mal entrou em campo, Jovane colocou o guardião do PSV à prova. Miguel Luís teve o golo nos pés, na recarga a remate Bruno Fernandes, mas saiu desviado. De novo o médio português, com um míssil carregado de efeito, quase enganava Zoet. O guardião voltou a estar em destaque, depois de segurar o esférico de forma milagrosa após finalização de Jovane, após lance de insistência de Neto.

Podia ter sido o momento do jogo, mas não foi: Ao minuto 81´, Pedro Mendes, avançado de 20 anos, estreou-se com a camisola principal dos leões e acabou por ter arranque de sonho. Um minuto depois de entrar em campo, recebeu a bola de costas para a baliza e finalizou para o fundo das redes.

Com a partida partida nos últimos instantes, ainda deu tempo para Rafael Camacho entrar, mas o resultado não sofreria alterações.

O Sporting inicia a Liga Europa com uma derrota, mas tem ilações positivas a retirar do encontro em Eindhoven.

*Artigo corrigido e atualizado

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.