Declarações de Luís Castro, treinador do Shakhtar Donetsk, à SIC, após o empate a três bolas na Luz com o Benfica.

Que leitura faz do jogo? "Nunca conseguimos fazer pressão alta e condicionar na primeira parte. O Benfica foi avassalador. Ao intervalo retificámos e chegamos as linhas à frente, estivemos melhor. Na segunda parte fomos a equipa mais forte e justifica-se o apuramento."

Ismaily disse que a equipa precisa de sofrer golos para acordar, é mesmo assim? "Não. Sofremos golos na primeira parte e não acordámos. Continuámos adormecidos, a não jogar, a não fazer o que estava definido. Fizemos uma primeira parte horrível, perante um Benfica avassalador que nos aniquilou. Fomos melhores na Ucrânia e aqui melhores na segunda parte. Justifica-se o apuramento."

Que equipa espera no sorteio? "Olhamos para cada eliminatória como uma hipótese de termos sucesso para ultrapassar o momento. Vamos continuar a fazer isso e vamos ver quem nos calha em sorte."

O Benfica empatou esta quinta-feira em casa com os ucranianos do Shakhtar Donetsk, por 3-3, em jogo da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, e foi eliminado da competição.

Depois da derrota na primeira mão (2-1), o Benfica adiantou-se no marcador com um golo de Pizzi, aos nove minutos, mas um autogolo de Rúben Dias (12) estabeleceu a igualdade, com o mesmo jogador a redimir-se e a colocar os ‘encarnados’ em vantagem ao intervalo.

Na segunda parte, Rafa aumentou a vantagem dos 'encarnados', aos 47, mas a equipa orientada por Luís Castro marcou dois golos, por Stepanenko (49) e Alan Patrick (71), garantindo o apuramento para os ‘oitavos’ da competição.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.