A Roma, orientada pelo treinador português Paulo Fonseca, preparava-se para visitar, esta quinta-feira, o Sevilha na primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa, mas o avião que deveria transportar a equipa da capital italiana para a cidade andaluz não recebeu autorização para aterrar em solo espanhol, pelo que acabou por não descolar.

O governo espanhol não autorizou a descolagem do voo 'charter' que deveria levar a AS Roma a Espanha e a formação italiana aguarda agora uma comunicação por escrito da UEFA sobre o que fazer.

A impossibilidade de viagem dos italianos acontece devido ao facto de o governo espanhol, à semelhança do português, ter vetado os voos de e para Itália, entre 11 e 15 e março, como medida de prevenção em relação ao surto do novo coronavírus.

De acordo com o jornal italiano 'Gazzeta dello Sport' escreve que o mais provável é o encontro, bem como provavelmente a partida da segunda mão, agendada para 19 de março, ser adiado para uma data a definir, mas refere a remota possibilidade de a equipa da Roma voar até Portugal e seguir depois de autocarro desde terras lusas até Sevilha.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.200 mortos.

Espanha registou até hoje 48 mortos provocados pelo novo coronavírus (+12) e 2.115 pessoas estão infetadas (+420), a maior parte na região de Madrid, segundo a atualização dos números feita pelo Ministério da Saúde espanhol.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 631 mortos e mais de 10.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.