Na antevisão ao jogo com o Besiktas, para Liga Europa, Ricardo Sá Pinto foi instado a comentar as declarações de António Salvador após o empate (2-2) com o Famalicão. "Isto não pode ser o SC Braga, 12 pontos em 10 jogos", disse então o líder dos minhotos.

"Todos conhecemos a personalidade do nosso presidente. Ele quer sempre ganhar sempre tal como nós. Só que nem sempre é possível, mas estou cem por cento de acordo com ele. Temos que assumir a responsabilidade de que somos o SC Braga e também sei que mais tarde ou mais cedo vamos lá chegar", garantiu.

O técnico rejeitou ainda a ideia de um SC Braga de duas faces, face às exibições no campeonato e na Liga Europa.

"Não há uma forma diferente de jogar. O SC Braga não joga de bola de pontapé para a frente. Algumas vez viram o Braga jogar de forma diferente? Simplesmente não temos sido tão eficazes na Liga como na Liga Europa, onde não temos que nos expor tanto. Mas a ideia de jogo tem sido sempre a mesma. Não abdicamos disso. Na Liga temos mais responsabilidades sobre os adversários, somos obrigados a criar mais", observou.

Nesse sentido, Sá Pinto aproveitou para lembrar o contributo do SC Braga para o 'ranking' português.

"O SC Braga é a equipa que tem contribuído mais para o ranking do futebol português. Esta é uma competição diferente e queremos continuar bem. Temos tido grande exigência em números de jogos consecutivos. Estes jogos exigem muito do ponto de vista físico e até psicológico. Nem sempre estamos como nós queremos, mas temos obtido bons resultados. A equipa tem de ter uma identidade de jogo e não abdicamos dela. Temos de controlar os adversários e criarmos sempre muitas oportunidades. Não vou fugir desse caminho. Enquanto não demonstrarem que os outros são melhores do que nós, não abdico disso", garantiu.

Sobre a receção ao Besiktas, o técnico disse esperar um adversário "forte”, depois de duas vitórias seguidas no campeonato, razão pela qual considerou que o confronto com os turcos “é um jogo de tripla".

"O fator casa não é fundamental. O Besiktas começou como cabeça de série, no ranking está melhor que todos, e veja-se onde está. Amanhã [quinta-feira] é outro jogo, onde tudo pode acontecer. O Besiktas quer mudar a sua imagem porque, matematicamente, ainda pode [qualificar-se] e vai acreditar que é possível, vêm no seu melhor", advertiu.

O treinador disse ainda que a Liga Europa não torna o SC Braga mais competitivo.

"Somos muito competitivos [na I Liga], tem faltado eficácia e havido um ou outro momento de desconcentração. Não existe uma diferença de mentalidade e de abordagem, mas na liga, tirando alguns jogos, temos assumido as despesas do jogo e isso obriga a expor-nos mais. Na Liga Europa não temos essa obrigação, em termos estratégicos também jogamos em função disso e permite-nos ter outra abordagem. Uma coisa é provocar o erro e outra é esperar pelo erro", disse.

Questionado sobre se o jogo com os turcos pode ser decisivo para a sua continuidade no cargo, respondeu apenas não ter “essa informação".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.