Dani Alves, jogador brasileiro do Paris Saint-Germain, concedeu esta quinta-feira uma entrevista à RMC, onde abordou vários temas, entre eles a eliminação na Liga dos Campeões frente ao Manchester United e a relação de trabalho com Thomas Tuchel.

Sobre o treinador alemão, o lateral direito considera que o técnico germânico não pode ser culpado pela eliminação dos franceses da Champions, sublinhando mesmo que Tuchel "foi a melhor contratação deste clube".

"Tuchel? É a melhor contratação do clube desde que estou aqui, muito melhor que eu. Nunca tive um treinador tão inteligente e tão disposto a estar ao serviço da equipa como ele. Estuda muito bem os adversários e o seu staff é incrível", disse Dani Alves, antes de abordar a derrota frente ao Manchester United.

"Foi muito desagradável. O Manchester United é um clube histórico e tens de ter muito cuidado, porque a história vai estar sempre contra ti. Temos de criar a nossa própria história. A sensação que tenho é que nos faltou esse pequeno toque, a convicção de que íamos para uma guerra", analisou o brasileiro, que aos 35 anos considera que devia ser ouvido mais vezes dada a sua larga experiência

"Sei como perdemos e como ganhamos. Quanto tento falar, quero ser seguido, escutado, não por ser mais importante que os outros, mas porque já passei pelas coisas. Quero ser mais escutado porque tive várias experiências e sei o que pode puxar por nós e atirar-nos para o fundo. Se não prestas atenção, as coisas acontecem", admitiu Daniel Alves, que acredita que, em França, Neymar segue "incompreendido".

"Em França ainda não entenderam completamente Neymar. Se eu vou ao estádio, é para ver o melhor, é a diferença trazida por jogadores como ele. Se tenho o Neymar ou o Messi na equipa, passo-lhe a bola. Se ele a perde, corremos para a recuperar e passamos a ele outra vez. Era assim que jogávamos para o Messi no Barcelona. O Neymar não tem de mudar a forma como joga, senão as pessoas vão adormecer", referiu o lateral direito.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.