Victor Osimhen tinha tudo tratado para se converter em jogador do Nápoles mas o negócio deu um passo atrás. A saída do jogador foi confirmado esta quinta-feira por Marc Ingla, diretor geral do Lille, à margem da apresentação de Isaac Lihadji.

"O jogador fez a sua escolha. É triste vê-lo sair, mas temos de estar cientes da força do mercado", comentou o dirigente, antes de sublinhar que o modelo de negócios do clube é para manter: comprar barato, valorizar e vender caro.

"Não escondemos o nosso modelo económico. Temos de considerar não só o valor da transferência, mas também o salário pago ao jogador. Não somos o destino final. Connosco os jogadores prosperam, usam o seu talento. Mas nós também lhes construímos as suas carreiras. É a vida do clube. Para ele e para a sua família, isto pode ser uma oportunidade tremenda", finalizou.

O negócio, que estava bem encaminhado, sofreu uma travão nos últimos dias, como deu conta o diretor desportivo do Nápoles, Cristiano Giuntoli.

"É uma situação complexa, o jogador mudou de agente nos últimos dias e agora é tudo mais complicado porque vamos ter de começar do zero", disse Cristiano Giuntoli ao site 'Dazn'.

O Lille, onde jogam os portugueses, Tiago Djaló, Renato Sanches, Xeka e José Fonte, está prestes a perder o seu homem-golo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.