Adrien Rabiot, afastado do plantel do PSG por recusar a renocar, reuniu-se esta quarta-feira com os dirigentes do campeão francês para uma entrevista prévia a uma decisão cujo conteúdo é desconhecido.

A lei francesa exige um prazo de entre dois dias úteis e um mês para notificação de uma possível sanção.

Rabiot foi punido por ter frequentado uma discoteca na noite da humilhante eliminação do PSG nos oitavos de final da Champions League pelo Manchester United no dia 6 de março, e também por ter feito 'gosto' num vídeo nas redes sociais do ex-jogador Patrice Evra, que celebrava a qualificação do clube inglês, segundo o jornal 'L'Équipe'.

No aspecto desportivo, o divórcio começou em dezembro, quando o jogador foi afastado da equipa, após o fracasso das negociações sobre a renovação do seu contrato, que termina em junho.

Desde então, Adrien Rabiot desapareceu dos convocados e corre o risco de ser demitido, o que significaria a sua saída imediata do PSG a três meses do final de seu contrato.

Outro desfecho seria mais favorável, em caso de advertência ou processo disciplinar, o que lhe permitiria terminar a temporada com o grupo. As multas e outras sanções financeiras são proibidas por lei.

Entretanto, em Espanha, o jornal 'As' escreve que o Real Madrid intrometeu-se no caminho do Barcelona e que está interessado em garantir o médio francês, cujo contrato termina em junho de 2019.

Escreve aquela publicação que, além dos dois emblema espanhóis, Bayern Munique também está interessaado no jogador de 23 anos.

Uma coisa é certa, o futuro de Rabiot não passa pelo PSG. A mãe e empresária do jogador criticou os responsáveis do emblema parisiense pelo tratamento dado ao internacional francês de 23 anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.