O campeonato moçambicano de futebol vai ser jogado este ano no sistema clássico de ‘todos contra todos’, em duas voltas, depois de ter sido programado para ser disputado por regiões, devido à insuficiência de fundos.

O presidente da Liga Moçambicana de Futebol (LMF), Ananias Couana, citado hoje pelo diário Notícias, afirmou que várias empresas aceitaram financiar a prova, conhecida por o Moçambola, após apelos do Presidente da República, Filipe Nyusi, antigo dirigente desportivo.

"Nós, Liga Moçambicana de Futebol, só podemos agradecer o apoio e todas as intervenções de sua excelência o Presidente da República, que, uma vez mais, interveio junto das empresas do Estado", declarou Ananias Couana.

Filipe Nyusi é um amante confesso de futebol e foi presidente do Ferroviário de Nampula no único campeonato nacional que o clube conquistou na sua história.

O Moçambola de 2019 vai arrancar em 27 de abril, depois de a data inicial de 30 de março ter sido alterada, devido ao ciclone Idai.

A competição será disputada por 16 equipas, em duas voltas, uma vez abandonado o modelo que havia sido acordado para este ano, de um campeonato dividido pelas regiões sul e centro-norte, com oito equipas cada.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.