O médio Fernandinho e vários membros da sua família foram vítimas de insultos racistas nas redes sociais depois do autogolo de sexta-feira, quando o Brasil foi eliminado pela Bélgica (2-1) nos quartos de final do Campeonato do Mundo na Rússia.

Vários utilizadores da Internet chamaram o jogador do Manchester City de "macaco" e alguns chegaram a ameaçá-lo de morte.

A mulher do jogador, Rosa Glaucia, também foi insultada na sua conta do Instagram. "O vagabundo do teu marido deitou tudo a perder", publicou o utilizador guih_nevetti.

A mãe de Fernandinho precisou de fechar a sua conta do Instagram devido à proliferação de comentários ofensivos no seu perfil.

Perante o racismo nas redes sociais, vários utilizadores partiram em defesa do jogador.

"Denuncia os ataques racistas", publicou no Instagram o site Mundo Negro, especializado na cultura negra, numa mensagem ilustrada por uma foto de Fernandinho.

"A derrota do Brasil e o autogolo não justificam o racismo, nada justifica o racismo, estamos contigo Fernandinho", acrescentou o site.

Na sexta-feira à noite, a jornalista da TV Globo Glenda Kozlowski emocionou-se em frente às câmaras, ao contar a angústia da família do jogador durante a partida.

Na partida de sexta-feira em Kazan, Fernandinho fez um autogolo aos 13 minutos de jogo, fazendo a Bélgica abrir o marcador.

O jogador de 33 anos já tinha sido duramente criticado há quatro anos, quando a Alemanha ganhou por 7-1 ao Brasil nas meias finais do Campeonato do Mundo de 2014.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.