A imprensa brasileira avança este sábado que o Flamengo entrou em confronto com a direção do clube depois de o presidente Rodolfo Landim ter ordenado o adiamento dos pagamentos dos prémios relativos às conquistas da Taça Libertadores e do Brasileirão.

De acordo com o site Globoesporte, os capitães Diego, Diego Alves e Everton Ribeiro reuniram-se com três elementos da direção antes do treino deste sábado, em Doha, para discutirem a situação e tentarem chegar a um consenso, mas sem sucesso.

A mesma fonte explica que a direção do Flamengo prometeu um valor superior a 70 milhões de reais (mais de 15 milhões de euros) a ser distribuído por jogadores e equipa técnica, sendo que Jorge Jesus tem um acordo à parte. No entanto, os atletas defendem que os restantes funcionários devem receber também um prémio monetário, e propõem que recebam 30 por cento do bolo total de 70 milhões de reais. Um valor que Rodolfo Landim considera excessivo.

A poucas horas da final do Mundial de Clubes, o presidente do clube carioca mandou suspender o pagamento até haver um acordo sobre os critérios. O valor referente à Libertadores deveria ter sido pago na sexta-feira, enquanto o prémio pela conquista do Brasileirão estava agendado para segunda-feira.

Em declarações ao Globoesporte, Fernando Landim garantiu que os prémios vão ser pagos. "Pedimos um tempo para avaliar. Até porque havia diferenças em relação ao Brasileirão. Será analisado e será pago", explicou.

A final do Mundial de clubes disputa-se no sábado, a partir das 17h30 (hora de Lisboa), no Estádio Khalifa International, em Doha.

Antes, a partir das 14h30, o Monterrey defronta o Al-Hilal, no jogo de atribuição do terceiro lugar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.