O Liverpool recusou ficar alojado num hotel de cinco estrelas, a convite da organização do Mundial de Clubes, que se irá disputar no Qatar, em dezembro, devido às condições de trabalho naquele estabelecimento.

Segundo uma reportagem do ‘The Guardian’, publicada no ano passado, os funcionários do hotel Marsa Malaz Kempinski, situado numa ilha artificial, recebem menos de dez euros por dia e são obrigados a cumprir turnos de 12 horas sob temperaturas de 45 graus.

Nesse sentido, refere o jornal 'L'Équipe', os 'reds' terão explicado à FIFA que preferiam alojar os seus jogadores num hotel que não levante questões éticas.

O Mundial de Clubes, recorde-se, decorre de 11 a 22 de dezembro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.