O Flamengo vai disputar este sábado o título mundial de clubes com o Liverpool, em Doha, no Qatar e a História pode ser um bom prenúncio para a turma orientada por Jorge Jesus. É que na sua única anterior presença na Taça Intercontinental, competição precursora do Campeonato do Mundo de Clubes da FIFA, em 1981, a formação carioca derrotou precisamente...o Liverpool.

A Taça Intercontinental, competição que em 2004 deu lugar ao atual Mundial de Clubes, colocava frente a frente os vencedores desse ano da Taça Libertadores e o vencedor da Taça dos Campeões Europeus. A edição de 1981 foi a vigésima da prova e a segunda decidida num só jogo, disputado no Japão.

Flamengo e Liverpool entraram em campo no Estádio Nacional de Tóquio a 13 de dezembro. O favoritismo, tal como agora, estava do lado da turma inglesa, então acabava de se sagrar campeã europeia pela terceira vez em cinco anos. Era o Liverpool de Grobbelaar, Phill Neal, McDermott, Sammy Lee, Souness e, claro, Kenny Dalglish. Uma equipa que parecia não ter rival. Mas do lado do 'Fla' havia Zico, secundado por nomes como Leandro, Júnior e Nunes.

VEJA OS GOLOS DO TRIUNFO DO FLAMENGO SOBRE O LIVERPOOL NA TAÇA INTERCONTINENTAL DE 1981

Foi a primeira presença das duas equipas na prova. O Flamengo nunca antes se tinha sagrado campeão sul-americano e o Liverpool tinha optado por não marcar presença por ocasião dos seus dois anteriores títulos europeus.

A contribuir para o favoritismo atribuído ao Liverpool havia também o frio que por norma se fazia sentir naquela altura do ano em solo japonês. Tudo parecia ir contra o Flamengo. Até mesmo um sorteio feito previamente, que ditou que seria o Liverpool a jogar com o seu equipamento tradicional, de vermelho, obrigando o 'Fla' a jogar de branco.

Contudo, no dia do jogo o sol brilhava e o céu estava azul. Da neve que se temia poder cair, nem sinal. E os adeptos japoneses, talvez por sentirem uma certa arrogância do lado inglês, que de certa forma viam aquele jogo como mais uma oportunidade para mostrarem a superioridade e eficiência do seu futebol, resolveram apoiar o Flamengo.

O conjunto brasileiro entrou em campo motivado. A vitória na Taça Libertadores, sobre os chilenos do Cobreloa, tinha ocorrido há menos de três semanas. Desde cedo os 'rubro-negros', a jogar de branco nesse dia, tomaram conta do jogo, determinados a mostrar ao Liverepool que aquele jogo estaria longe de ser 'favas contadas'. E, logo aos treze minutos, Zico desmarcou Nunes, que viu a saída de Grobbelaar, mítico guarda-redes dos 'reds', e ainda de fora da área fez um chapéu perfeito, para o 1-0.

Em vantagem no marcador, o Flamengo ganhou ainda mais confiança e mostrou em campo toda a arte do seu futebol. O Liverpool tentava reagir, mas Zico estava endiabrado, a fazer uma das melhores exibições da sua vida. A meio do primeiro tempo, McDermott derrubou Tita à entrada da área. Zico pegou na bola, cobrou o livre e Grobbelaar só conseguiu defender para a frente. Na recarga, à terceira, Adílio elevou para 2-0.

O Liverpool acusou o segundo golo do 'Fla' e aos 41 minutos da primeira parte tudo ficou praticamente decidido. Com Zico uma vez mais na origem do lance, Nunes surgiu novamente isolado e não teve problemas em atirar a contar. 3-0 para o Flamengo, ainda antes do intervalo.

A segunda parte serviu apenas para os adeptos do Flamengo começarem a preparar a festa e para os jogadores mostrarem em campo toda a sua classe e qualidade técnica. O Flamengo sagrava-se, pela primeira vez 'campeão mundial', ainda que na altura não existisse ainda essa designação.

Um êxito que, agora com Jorge Jesus ao leme, e sem Zico, mas com Gabriel Barbosa, os 'rubro-negros' vão tentar repetir, ironia das ironias, frente ao mesmo adversário de há 38 anos. O destino tem destas coisas...será que o resultado se vai repetir?

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.