Algumas estrelas emergentes vão falhar o Mundial de futebol em sub-17, que decorre no Brasil, entre 26 de outubro e 17 de novembro. Ansu Fati, jogador de 16 anos que está a dar nas vistas na equipa principal do Barcelona, vai ficar fora da prova já que está com os sub-21 de Espanha, depois de um processo rápido de naturalização.

O Brasil não poderá contar com Reinier, estrela emergente do Flamengo de Jorge Jesus, já que o clube carioca não aceita libertar o jovem avançado de 17 anos, devido a falta de soluções na sua frente de ataque.

Já os Camarões, não poderão contar com o filho de Samuel Eto´o devido a... questões políticas. Etienne Eto'o, jogador dos escalões de formação do Maiorca, foi chamado pelo selecionador Thomas Libiih, já estava com a comitiva africana no Brasil mas teve de deixar o grupo devido a uma lei que o impede de jogar pela seleção do país do seu pai.

De acordo com o jornal 'Marca', há uma lei, de 2014, que impede o filho de Eto´o de jogar pelas seleções jovens do país africano. Em setembro de 2014, o presidente dos Camarões, Paul Biya, assinou um decreto presidencial que proibia as seleções nacionais do país, de sub-15 e sub-17, de ter jogadores a atuarem fora do país.

Thomas Libiih, selecionador dos sub-17 dos Camarões, já tinha expressado o seu desejo em contar com alguns jogadores que atuam fora do país, para tentar o título no Brasil, como o filho de Eto´o, Etienne Eto'o, que joga no Maiorca, assim como Barel Fotso, da AS Roma. Libiih, antigo jogador dos Camarões, que esteve nos Mundiais de 1990 e 1994, escreveu um carta ao presidente da Federação, Seidou Mbombo Njoya, para que intercedesse junto do líder do país, Paul Biya, mas sem sucesso.

Os Camarões são os atuais campeões africanos de sub-17. Estão no Grupo E, juntamente com a Espanha, Argentina e Tajiquistão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.