O treinador do Leicester, Brendan Rodgers revelou esta sexta-feira que teve a COVID-19. Em entrevista à rádio 'BBC Radio Leicester', revelou que os sintomas surgiram depois da semana em que os 'Foxes' deveriam ter jogado frente ao Watford.

"Tivemos uma semana de folga quando era suposto jogarmos com o Watford [14 de março], na semana seguinte comecei a passar mal. Durante três semanas, não tinha olfacto ou paladar. Não tinha forças, e na semana seguinte, a minha esposa ficou igual. Fomos os dois testados e fomos detetados com o vírus", contou.

Rodgers comparou a doença com a subida que realizou ao Kilimajaro há nove anos atrás com outros elementos da Liga.

"Mal conseguia andar e lembrou-me de quando subi o Kilimanjaro. Quando mais alto sobes mais sofres para respirar", afirmou.

A COVID-19 tem impacto na capacidade física do técnico, que admite ainda a estranheza de não conseguir cheirar ou saborear a comida.

"Lembro-me que foi complicado voltar a correr depois de ficar doente e foi difícil fazer 10 metros. Não tinha apetite e foi uma sensação estranha comer sem sentir o sabor e o cheiro do que comia. Fez-me apreciar mais ser saudável e estar em forma", realçou.

Com Rodgers já recuperado da COVID-19, o Leicester regressou aos treinos de grupos nos últimos dias, com o técnico a admitir que apesar do ritmo de treino ter mudado os jogadores parecem que nunca estiveram longe dos campos.

O treinador dos 'Foxes' realçou ainda que nenhum jogador lhe demonstrou receio de jogar e que se sente seguro no regresso.

"Sinto-me seguro e temos muita sorte no futebol por sermos testado duas vezes por semana", disse.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.