"Foi um período difícil, porque, quando mudas de equipa, queres ajudar e estar a 100%. Esperava ter começado a jogar mais cedo, mas o apoio do ‘staff’ e dos meus colegas foi fantástico", afirmou o lateral, em entrevista à Sky Sports.

Cédric transferiu-se para o Arsenal em janeiro, por empréstimo do Southampton, mas apenas cinco meses depois, em 01 de julho, conseguiu realizar o primeiro jogo pelos ‘gunners', numa estreia que tinha sido adiada por uma lesão num joelho, pela pandemia de covid-19 e por uma fratura no nariz.

"As lesões fazem parte do futebol. Às vezes, as coisas acontecem por alguma razão. Agora, sinto-me ótimo, estou a dar o meu melhor e preparado para ajudar a equipa", referiu o internacional luso, que logo na estreia pelo Arsenal marcou um dos golos da vitória sobre o Norwich (4-0).

O lateral, de 28 anos, que entretanto se vinculou em definitivo e por quatro épocas ao Arsenal, revelou que em janeiro de 2019 "já tinha existido a possibilidade" de assinar pelo clube, só que acabou por ser cedido ao Inter de Milão, num empréstimo de seis meses.

Esta época, quando surgiu novamente a hipótese de rumar aos ‘gunners', o jogador formado no Sporting não teve dúvidas: "Tinha outra opção em mãos, mas, quando surgiu o Arsenal, não tive qualquer dúvida. Era algo que queria muito."

Nos últimos quatro jogos para a Premier League, Cédric foi titular em três, sendo que no domingo os ‘gunners' perderam o dérbi londrino com o Tottenham, de José Mourinho, por 2-1, um resultado que "foi difícil de encaixar" e que gerou "deceção" no conjunto orientado por Mikel Arteta.

A três jornadas do final da Premier League, o Arsenal ocupa o nono lugar, com 50 pontos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.