Shkodran Mustafi, jogador do Arsenal, concedeu uma longa entrevista ao jornal alemão 'Der Spiegel' onde aborda uma sondagem do jornal espanhol Marca, na qual foi considerado pelos adeptos como o segundo pior defesa do mundo.

O internacional alemão, de 27 anos, não concorda com esse rótulo, isto numa altura em que foi vetado a um papel secundário no Arsenal e em tem sido alvo de duras críticas por parte dos adeptos "gunners".

"Não sou o segundo pior defesa do Mundo. Levaria em conta se tivesse sido uma sondagem entre os melhores treinadores da Europa", começou por dizer Mustafi.

"Nos primeiros dois anos após a minha transferência para o Arsenal, em 2016, tudo correu muito bem. Via-me como uma estrela. Mas, pouco depois do natal de 2018, houve uma quebra. Recentemente cometi vários erros e gerou-se um problema como nunca tinha tido", referiu, antes de assegurar que está a par dos "erros" que cometeu.

"Consigo tolerar as críticas, mas tornaram-se irracionais e transformei-me num bode expiatório. Chegou a um ponto em que as pessoas me culpavam de derrotas em jogos que não tinha participado", recordando a goleada de 5-1 imposta pelo Liverpool ao Arsenal.

"Antes do jogo com o Liverpool tinha estado três semanas de fora e tive de jogar sem treinar porque o treinador precisava de mim. Ao intervalo, perdíamos 4-1 e voltei a lesionar-me. Depois da partida recebi muitas críticas dos adeptos através das redes sociais e em artigos", atirou, revelando também que a família é o seu grande apoio e que, dadas as críticas, ponderou abandonar o emblema londrino no mercado de verão.

"Sim, pensei mudar de clube, mas não surgiu nenhuma opção que satisfizesse todas as partes", rematou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.