O Chelsea irá entregar 78 mil refeições a trabalhadores do sistema nacional de saúde britânico (NHS), com o objetivo de ajudar a aliviar os longos turnos de trabalho que têm enfrentado devido à pandemia da covid-19.

As refeições serão gratuitas e distribuídas diariamente durante seis semanas, com entregas semanais na ordem das 13 mil.

“O objetivo é ajudar os trabalhadores do NHS que têm longos turnos e dificuldade de acesso a comida de boa qualidade de forma regular. Faz parte igualmente dos nossos esforços em apoiar os mais vulneráveis da nossa comunidade durante a pandemia do novo coronavírus”, refere o clube da Liga inglesa de futebol em comunicado.

As refeições terão como destino os hospitais St.Mary’s, Charing Cross e Hospital Hammersmith, em Londres.

Durante esta crise sanitária também o Aston Villa doou a instituições da caridade 850 refeições que tinha preparadas para o jogo da Liga inglesa, precisamente com o Chelsea, que acabou por não se realizar, devido à suspensão do campeonato.

Já hoje, mas em França, o Paris Saint-Germain informou estar a preparar 1.200 refeições diárias para distribuir gratuitamente pelas equipas dos hospitais da capital francesa, num projeto lançado em 09 de abril e que já entregou 9.000 refeições.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 137 mil mortos e infetou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 450 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 629 pessoas das 18.841 registadas como infetadas.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa quatro mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.